quarta-feira, 14 de maio de 2014

OS GASES MAIS TÓXICOS

ALÔ PESSOAL!!!!!!!!!
Nesses tempos de total seca, parece que SP virou o Nordeste, o mapa está e cabeça para baixo!!!!!!!!!!!
Nunca as represas estiveram com tão pouca água!!!!!!!
E, se não chove, como fica o ar?????
Então vamos ver alguns gases tóxicos????


Esta é uma relação com alguns dos gases mais perigosos e mortais para os trabalhadores envolvidos com esses compostos. Os limites de exposição ocupacional foram retirados dos sites da Occupational Safety and Health Administration (OSHA), National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH), American Conference of Industrial Hygienists (ACGIH) e do portal do Ministério do trabalho e emprego (MTE).  É apresentado ainda os limites IPVS (imediatamente perigoso a vida e a saúde) de exposição para cada gás alvo da lista, ou Immediately Dangerous To Life or Health Concentrations (IDLH). São comentados as características gerais desses gases, como por exemplo a densidade de cada um em relação ao ar atmosférico, odor, cor, inflamabilidade e condições de desprendimento ou liberação dos mesmo. A densidade relativa é uma característica interessante pois mostra como o gás se comporta na atmosfera, se é mais leve ou mais pesado que o ar atmosférico. Isso é importante para saber se em caso de vazamento, esse gás permanece próximo ao chão ou se se dissipa rapidamente.




AMÔNIA:
A amônia é um gás alcalino, oxidante e tóxico. Sua densidade é quase metade da densidade do ar e tem um odor característico. O nível de segurança máxima é 25 ppm (ACGIH) e 20 ppm pela NR 15 e, a sua alcalinidade torna altamente reativos com os gases ácidos e o cloro e, a sua presença em atmosferas contendo outros gases é frequentemente mascarado por este. O nível imediatamente perigoso a vida e a saúde (IPVS) para o gás amônia é de 300 ppm (IDLH).

A amônia é inflamável com um
limite inferior de explosividade (LIE/LEL) de 15%. Ele é produzido em grandes quantidades em todo o mundo para fornecer fertilizantes, ureia para resinas, explosivos e fibras (como nylon). É também usado como um gás refrigerante e essa aplicação tem aumentado com o desaparecimento dos CFCs.
Geralmente se utiliza sensores eletroquímicos para detectar esse gás mas também pode ser utilizado detectores por fotoionização (PID).

Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 25 ppm / TWA, 35 ppm STELOSHA PEL: 50 ppm (35 mg/m3) TWAIPVS / IDLH: 300 ppmNR 15: 20 ppm (jornada de 48 horas / semana)


ARSINA


Arsina é um gás incolor, inflamável e altamente tóxico. Possui um odor semelhante ao de alho ou de peixe que pode ser detectado em concentrações acima de 0,5 ppm. Como a arsina não é irritante e não produz sintomas imediatos, pessoas expostas a níveis perigosos podem não estar cientes de sua presença. É geralmente fornecido em cilindros como um gás comprimido liquefeito. O gás arsina é gerado quando metais ou minérios em estado bruto contendo impurezas de arsênio são tratados com ácido. O gás arsina é também usado na indústria de semicondutores para a fabricação de microchips.

Limites de exposição ocupacional
OSHA (PEL): 0.2 mg/m3 TWA
ACGIH (TLV): 0.005 ppm, TWA
NIOSH (REL): 0.002 mg/m3 Ceiling (15 min); Potencialmente carcinogênico.
IPVS / IDLH: 3 ppm
NR 15: 0,04 ppm (jornada de 48 horas / semana)










BROMO
O Bromo é usado para a fabricação de uma variedade de compostos ​​na indústria e na agricultura. O bromo é também utilizado na fabricação de fumigantes, agentes à prova de chama, compostos para purificação de água, corantes, medicamentos, desinfetantes, brometos inorgânicos para a fotografia, etc.
O bromo é usado para fazer óleo vegetal bromado, o qual é usado como emulsionante em muitos refrigerantes aromatizados com citrinos.
O bromo elementar é um elemento muito irritante quando em forma concentrada, irá produzir bolhas dolorosas na pele e mucosas caso ocorra exposição dessas partes. Mesmo em baixas concentrações, o vapor de bromo (≤ 10 ppm) pode afetar a respiração, e a inalação de quantidades significativas de bromo pode danificar seriamente o sistema respiratório. Possui cor marrom-avermelhado escuro, é um líquido fumegante e sufocante e sua fumaça é irritante.

Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 0.1 ppm TWA, 0.3 ppm STEL
OSHA PEL: 0.1 ppm (0.7 mg/m3) TWA
IPVS / IDLH: 3 ppm
NR 15: 0,08 ppm (jornada de 48 horas / semana

DIÓXIDO DE CARBONO








Apesar de expiramos o dióxido de carbono e que o mesmo está presente na atmosfera, em cerca de 400 ppm, o nível de segurança máxima é 5000 ppm (0,5%) e 3900 ppm (NR 15). É produzido durante a combustão e na fabricação da cerveja, destilação e outros processos de fermentação, e é um dos principais constituintes, junto com o metano, de gases de aterro sanitário e de biodigestores. O CO2 apresenta um risco significativo na indústria cervejeira, sobretudo porque o gás é mais pesado que o ar e acumula em níveis baixos. Não tem cor, nem cheiro e não é inflamável. Há algum grau de risco, em lugares lotados, mal ventilados, e este problema é muitas vezes agravado pela deficiência de oxigênio. O CO2 também é utilizado para aumentar o crescimento da planta por meio da elevação dos níveis normais em estufas.
É inodoro e incolor, e difícil de medir na faixa de ppm. Absorção de infravermelho é a técnica de detecção de costume adotada mas também são utilizados detectores óticos de chama (ótica flame detector).

Limites de exposição ocupacional
NIOSH REL: 5,000 ppm TWA, 30,000 ppm STEL
OSHA PEL: 5,000 ppm TWA
IPVS / IDLH: 50,000 ppm
NR 15: 3900 ppm (jornada de 48 horas / semana)


MONÓXIDO DE CARBONO


O monóxido de carbono é incolor e inodoro e o gás tóxico mais abundante. Tendo uma densidade semelhante à do ar, mistura-se com facilidade e é facilmente inalado. Ele é conhecido como "assassino silencioso", em ambientes domésticos.  Comparativamente, o CO se liga muito mais fortemente à hemoglobina do que o oxigênio (O2) e faz dele um gás extremamente tóxico e letal.
Qualquer processo onde não há combustão incompleta de combustível orgânico é susceptível a produzir o monóxido de carbono como produto (indesejável). A queima de gasolina, diesel, caldeiras de carvão, gás natural e outros derivados de petróleo, e até mesmo o cigarro produzem CO quando a queima do combustível é pobre em oxigênio. A sua presença em minas é devido à combustão lenta de carvão.
 Também é utilizado em grandes quantidades como um agente redutor químico barato, por exemplo, na produção de aço e noutros processos de refinação de metais e de tratamento térmico, e na produção de metanol por meio de reação com hidrogênio.
Geralmente se utiliza sensores eletroquímicos para a detecção desse gás (CO).

Limite de exposição ocupacional
OSHA (PEL):50 ppm TWA
ACGIH (TLV): 25 ppm TWA
NIOSH (REL): 35 ppm,  TWA: 200 ppm
NR 15: 39 ppm (jornada de 48 horas / semana)
IPVS / IDLH: 1500 ppm

CLORO









O cloro tem cheiro pungente, corrosivo e um líquido verde / gás amarelo. O uso mais conhecido é na purificação de água para abastecimento doméstico e em piscinas. É usado para fazer os compostos clorados, tais como o PVC, e para o branqueamento de papel e tecidos. É um gás muito pesado e é facilmente absorvido pela maioria dos materiais.
O comportamento de cloro faz dele um gás muito difícil de detectar (tão difícil que ainda requer técnicas especiais de calibração).
Geralmente se utiliza sensores eletroquímicos para a detecção desse gás (Cl2).

Limites de exposição ocupacional
NR 15: 0,8 ppm
ACGIH TLV-TWA – 8 h: 1 ppm
OSHA PEL: 1 ppm
IPVS / IDLH: 300 ppm
fonte:http://www.protecaorespiratoria.com

segunda-feira, 12 de maio de 2014

OXIGÊNIO - NA TERRA E NO AR

ALÔ PESSOAL!!!!
Vimos que o elemento em maior quantidade na crosta terrestre é o oxigênio.
Que tal saber mais sobre ele?
Sabia que, logo após o Big Bang não havia oxigênio na Terra?
Segundo a maioria dos cientistas ele começou  a se formar quando as células fotossintetizantes apareceram. Essas formas de vida unicelulares, sem núcleo, extraiam o hidrogênio da água utilizando o dióxido de carbono e construíam seus próprios carboidratos . O oxigênio era um poluente que favorecia uma forma de vida diferente e começou a oxidar o ferro presente nos mares, formando grandes depósitos de óxido de ferro.
A concentração do oxigênio começou a aumentar quando todo o ferro foi oxidado.








 ciclo do oxigênio


 
 O oxigênio tem duas formas alotrópicas O2 e O3 .
Quando falamos em oxigênio estamos nos referindo ao dioxigênio, O2, que é a forma mais abundante que o ozônio.
É um gás incolor, insípido, inodor, formado por moléculas de O2, que se condensa a - 183°C , produzindo um líquido azul pálido, e se congela a - 218°C.
É pouco solúvel em água,  mas mesmo em pequenas quantidades é indispensável à vida aquatica.
Tem uma propriedade incomum: é magnético.
MÉTODOS DE PREPARAÇÃO:
comercialmente é obtido através do fracionamento do ar .
Em laboratório pode ser preparado pela decomposição termíca do perclorato de maetais alcalinos, como o perclorato de potássio:
2 KClO3 ( s )  ----------> 2 KCl(s)  + 3 O2 (g) 
A maior parte do oxigênio na atmosfera vem da fotossíntese:
.


fontes: Química- Integral-

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante