quinta-feira, 17 de junho de 2010

VAZAMENTO É COMUM NA NIGÉRIA

ALÔ PESSOAL!
Essa imagem é do Rio Bodo, na Nigéria.
Isso é vazamento de petróleo. Tão comum que não há mais alardes!
Vejam a incoerência: enquanto os EUA gritam ( e com razão!), um país abaixo da linha de pobreza, como a Nigéria, tem um desastre desses por ANO!
Leia a reportagem do "último segundo- ig":( 17/06/2010 )
Grandes vazamentos de petróleo deixaram de ser notícia em Bodo, na Nigéria. O Delta do Níger, onde a riqueza subterrânea contrasta com a pobreza existente na superfície, tem sofrido o equivalente ao vazamento do Exxon Valdez a cada ano nos últimos 50 anos, segundo algumas estimativas. O petróleo vaza quase todas as semanas e alguns pântanos já não têm vida há muito tempo.
Talvez nenhum outro lugar na Terra tenha sido tão maltratado pelo petróleo, dizem os especialistas, o que deixa os moradores de Bodo espantados com a atenção ininterrupta dada ao vazamento a meio mundo de distância, no Golfo do México. Foi apenas há algumas semanas, eles dizem, que um cano da Royal Dutch Shell que estourou nos manguezais foi finalmente fechado, após dois meses de vazamento contínuo: agora nenhum ser vivo se move numa área tomada pelo petróleo e que antes era repleta de camarões e caranguejos.
Não muito longe dali, ainda há petróleo cru no Riacho Gio de um vazamento que aconteceu em abril. Do outro lado da fronteira do Estado, em Akwa Ibom, os pescadores amaldiçoam suas redes enegrecidas pelo petróleo, inúteis em um mar estéril por causa de um vazamento de um oleoduto marítimo da Exxon Mobil em maio, que durou semanas.
O petróleo vaza de tubulações enferrujadas e envelhecidas, não controladas pelo que os especialistas dizem ser uma regulamentação ineficaz ou corrupta, e é auxiliado por uma manutenção deficiente e por sabotagens constantes. Diante desta maré negra existem raros protestos - soldados que guardavam uma sede da Exxon Mobil bateram em mulheres que protestavam na frente do prédio no mês passado, segundo testemunhas -, mas principalmente uma aceitação ressentida.
Aqui, as crianças pequenas nadam no estuário poluído, os pescadores levam seus esquifes cada vez mais longe - "Não há nada que possamos pescar aqui", disse Pio Doron, em seu barco - e as mulheres do mercado andam com dificuldade por riachos cheios de petróleo.

terça-feira, 15 de junho de 2010

BIODIVERSIDADE

ALÔ PESSOAL!
Brasil x Coréia está rolando lá na África do Sul, e eu nào estou gostando desse jogo!!!!! A Coréia está atacando muito, o que está acontecendo???
Mas com jogo ou sem, vamos a biodiversidade!
Vou reescrever alguns trechos da entrevista de Pavan Sukhdev ( indiano, economista senior do Deutsche Bank que foi convidado para coordenar o projeto chamado "TEEB"- economia dos ecossistemas e da biodiversidade) , publicada pela "Veja" em 9/06/2010.
Qual o custo da destruicão da natureza?
A perda anual representa representa entre 2,5 trilhões e 4,4 trilhões de dólares.Nessa conta está incluida apenas a destruicão das florestas, dos mananciais e da vegetacão dos mangues. o cálculo foi feito com base no valor atual dos servicos que esses recursos naturais prestam ao homem, como ar puro, água doce, produtos florestais, turismo ecológico, potencial biológico das espécies, prevencào de inundacòes e controle de secas.
Quem mais perde com os danos ao ambiente?
Há quem pense que a defesa ambiental é um luxo para os ricos. A realidade é o oposto. A protecào da biodiversidade é uma necessidade para os pobres, principalmente os da zona rural.
Essa necessidade se explica porque os pobres nào tem riquezas acumuladas e sobrevivem dos benefícios diretos das florestas, dos recursos hídricos e do solo.
Se continuarmos no atual ritmo de destruicão ambiental em 2050 o prejuízo será equivalente a 7% do PIB mundial.
Pode ser pouco em relacão à riqueza global, mas é muito se comparado aos benefícios e ao sustento que a natureza proporciona às famílias dos agricultores pobres.
Então o mau uso dos recursos causarão prejuizos entre 50% e 80% da renda dos pobres.
Os empresários também podem ser prejudicados pela devastacão ambiental.
Se uma empresa atua no setor agrícola, pode ter gastos elevados com fertilizantes e até perder a capacidade de produzir em determinada região se houver escassez de água causada pelo mau uso.
XQUIMICA MOSTRANDO QUE SUSTENTABILIDADE É COMPLEXA!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

SUSTENTABILIDADE- VOCE PRECISA SABER

ALÔ PESSOAL!!!!!! COMMENT ÇA VA?
Essa semana vou iniciar um novo tópico aqui no XQUIMICA: sustentabilidade.
O termo é novo e abrange uma série de conceitos que estão sendo aplicados ao redor do mundo.
Antes de tudo : sustentabilidade o que isso significa?

Define-se por Desenvolvimento Sustentável um modelo econômico, político, social, cultural e ambiental equilibrado, que satisfaça as necessidades das gerações atuais, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades. Esta concepção começa a se formar e difundir junto com o questionamento do estilo de desenvolvimento adotado, quando se constata que este é ecologicamente predatório na utilização dos recursos naturais, socialmente perverso com geração de pobreza e extrema desigualdade social, politicamente injusto com concentração e abuso de poder, culturalmente alienado em relação aos seus próprios valores e eticamente censurável no respeito aos direitos humanos e aos das demais espécies. O conceito de sustentabilidade comporta sete aspectos principais, a saber:
Sustentabilidade Social - melhoria da qualidade de vida da população, eqüidade na distribuição de renda e de diminuição das diferenças sociais, com participação e organização popular;
Sustentabilidade Econômica - públicos e privados, regularização do fluxo desses investimentos, compatibilidade entre padrões de produção e consumo, equilíbrio de balanço de pagamento, acesso à ciência e tecnologia;
Sustentabilidade Ecológica - o uso dos recursos naturais deve minimizar danos aos sistemas de sustentação da vida: redução dos resíduos tóxicos e da poluição, reciclagem de materiais e energia, conservação, tecnologias limpas e de maior eficiência e regras para uma adequada proteção ambiental;
Sustentabilidade Cultural - respeito aos diferentes valores entre os povos e incentivo a processos de mudança que acolham as especificidades locais;
Sustentabilidade Espacial - equilíbrio entre o rural e o urbano, equilíbrio de migrações, desconcentração das metrópoles, adoção de práticas agrícolas mais inteligentes e não agressivas à saúde e ao ambiente, manejo sustentado das florestas e industrialização descentralizada;
Sustentabilidade Política - no caso do Brasil, a evolução da democracia representativa para sistemas descentralizados e participativos, construção de espaços públicos comunitários, maior autonomia dos governos locais e descentralização da gestão de recursos;
Sustentabilidade Ambiental - conservação geográfica, equilíbrio de ecossistemas, erradicação da pobreza e da exclusão, respeito aos direitos humanos e integração social. Abarca todas as dimensões anteriores através de processos complexos. (http://www.catalisa.org.br)
Para voces terem uma noção da importância desse conceito a "COCA COLA" iniciou há 10 anos uma série de investimentos inéditos em projetos ambientais , não por estar preocupada com o derretimento do Ártico ou animais em extinção.
Os estudos mostravam que a crescente escassez de água doce no planeta poderia ser perigoso para o futuro do seu negócio..Água é a principal matéria prima para a fabricação de mais de 3000 produtos da marca : a empresa injetou bilhões de dólares na criação de metodos de reutilização e tratamento de água em suas fábricas, em 200 páises. Em cada uma das 43 unidades brasileiras gastavam-se 5,5 litros de água para produzir 1 litro de refrigerante. Hoje ésse gasto é de 2,04 litros. A redução representa uma economia de 50000 reais por ano, por fábrica.
Pela primeira vez, na história, os empresários se deparam com limites de crescimento reais impostos por questões ligadas à natureza.Todo produto que chega ao consumidor , seja uma xícara de café, um tenis, um carro, tem origem na extração ou colheita de bens da natureza. Esses bens, a água, as terras cultiváveis, as florestas, são finitos.Justamente nesse ponto reside o maior desafio para um modelo que privilegiou a produção em detrimento dos recursos naturais: essa conta está sendo cobrada agora- e é bem cara.( "Veja"- 9/06/2010 )


Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante