sexta-feira, 8 de março de 2013

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

NÃO IMPORTA QUEM SOMOS, MAS O QUE SOMOS

REMÉDIOS- COMO ENTRAM NA CÉLULA?

OLÁ PESSOAL!!!!!!!!!!
Estou fazendo um curso de Farmacologia, sempre surgem dúvidas e as respostas quero compartilhar com voces.
A primeira questão é: como o medicamento "sabe" para onde ir e o que fazer?????
Para isso é necessário dar uma olhada na membrana plasmática, e sua composição:
Veja:
membrana celular e suas entradas
 (fonte:wikipédia.org)

"Os fármacos em geral passam através das células e não dos espaços intercelulares que são diminutos, permitindo apenas o trânsito de água , sais e compostos de baixo peso molecular. A membrana celular é uma estrutura dinâmica, mutável e adaptável à passagem de diferentes substâncias. Seu comportamento funcional é bastante variável no organismo, o que explica as diferenças observadas na velocidade, quantidade e tipo de substâncias transportadas pelas diversas membranas celulares. Dentre seus vários constituintes, destacam-se os de natureza lipídica, já que há maior permeabilidade às substâncias lipossolúveis do que às polares, hidrossolúveis, explicada pela dissolução daquelas na fase lipídica na membrana. Pode também ocorrer transporte de fármacos através de complexos protéicos.

A membrana plasmática consiste em uma dupla camada de lipídeos anfifílicos com suas cadeias de hidrocarboneto orientadas para dentro, a fim de formar uma fase hidrófoba contínua e suas cabeças hidrófilas voltadas para fora. Cada molécula de lipídeo na camada dupla pode movimentar-se no sentido lateral, conferindo à membrana fluidez, flexibilidade, grande resistência elétrica e relativa impermeabilidade à moléculas altamente polarizadas. As proteínas da membrana embutidas na dupla camada exercem muitas vezes a função de receptores que proporcionam vias de sinalização elétricas ou químicas e alvos seletivos para a ação de fármacos. Constituintes da membrana, sua inter-relação, polaridade e diâmetro dos poros conferem seletividade à esta estrutura celular." (fonte:http://www.farmacia.ufmg.br/cespmed/text7.htm)

Assim, o remédio ou fármaco, só entra na célula se a membrana permitir.
A maior parte dos remédios atravessam a membrana lipossolúvel da célula, porque tem uma afinidade maior com os lipidios dessa membrana e são armazenados no tecido adiposo que funciona com reservatório de liberação de muitos medicamentos.
Os benzodiazepínicos (tranquilizantes, ansiolíticos) os inseticidas ( quando a pessoa é exposta durante um tempo a eles)  ficam acumulados no tecido adiposo.
Quando um remédio é estudado para determinado fim, todas as questões como essas tem que  total relevância, assim como a forma em que serão apresentados e absorvidos, sejam cápsulas, comprimidos, emulsões, pomadas, xaropes ...
E aí vamos para a pergunta inicial: como entram nas células?
Por difusão, pelos poros, através de pinocitose,transporte feito por moléculas específicas da membrana (veja figura acima).
Assim, dentro da célula o fármaco vai atuar !!!!!!!!!!!!
Muito legal, não? 
E aqui estão algumas fórmulas bem orgânicas!!!!!



 fonte-figura:fqs.blogspot.com
  

terça-feira, 5 de março de 2013

DIFERENÇAS ENTRE CREMES, LOÇÕES, ÓLEOS, GÉIS

OLÁ PESSOAL!!!!!!!!!!
Iniciamos hoje uma nova área  aqui no XQUIMICA, que é a COSMETOLOGIA.
São muitas as perguntas e as dúvidas sobre os produtos da cosmética.
Mas primeiro vamos entender a diferença entre creme, gel, óleo, loção:
 Atentos!




Creme –
é uma preparação semi-sólida de consistência fluida e de aspecto macroscópico homogêneo. Cremes são obtidos pela mistura de substâncias de caráter oleoso (apolar) e aquoso (polar), as quais são imiscíveis (não se misturam) sem o auxílio de outros compostos. Quimicamente, essa mistura torna-se possível com a utilização de compostos tensoativos ou surfactantes,que são capazes de alterar a tensão superficial dos líquidos e formar emulsões do tipo óleo-em-água (O/A) ou água-em-óleo (A/O). Tal propriedade é devida à capacidade dos tensoativos de interagir simultaneamente com substâncias polares e apolares, pois apresenta em sua molécula uma parte hidrofílica (que tem afinidade com água) e outra lipofílica (que tem afinidade com óleo). O detergente que você usa em casa para lavar as louças é um ótimo exemplo de tensoativo, pois remove a emulsão do produto. São adicionados também conservantes (parabenos,imidazolidinil uréia e fenoxietanolsão alguns exemplos), corantes efragrâncias, além do ingrediente ativo desejado (vitaminas, carotenoides,filtros ou bloqueadores solares etc).Os cremes são amplamente utilizados na cosmetologia emformulações de hidratantes, filtros eprotetores solares e em preparaçõesantiaging(anti-envelhecimento). São muito aplicados também na formulação de medicamentos de uso tópico (na pele), como por exemplo os antifúngicos,os anti-inflamatórios e os antibióticos, além de preparações de uso intravaginal.


Loção –

é uma forma farmacêutica conhecida também como suspensão de uso tópico, e normalmente tem aparência de um líquido leitoso. Em Farmacotécnica (área que estuda as formas farmacêuticas, que também é conhecida por tecnologia farmacêutica), oconceito de suspensão é descrito como sendo um sistema formado por partículas sólidas (geralmente pó) que não são dissolvidas, mas sim dispersas em um líquido. Um exemplo caseiropara ilustrar uma suspensão seria a mistura de farinha de trigo e água. Nesse caso, se a mistura permanecer em repouso, lentamente as partículas da
farinha se depositarão no fundo do recipiente. No preparo de uma loção, o
mesmo princípio é utilizado, havendo a adição de um tensoativo, que irá
promover a emulsificação e a consequente formação de micelas, estabilizando a mistura e elevando o tempo de decantação das partículas sólidas. Porém, com o tempo, as partículas se depositam, e é por isso que as loções devem sempre ser agitadas antes do uso, para que as partículas sejam ressuspendidas no meio.Em relação ao creme, a loção é diferenciada pelo fato da micela se  formar sobre uma partícula sólida, por ter consistência mais líquida e não necessitar de fricção no momento do espalhamento sobre a pele. Do ponto de vista farmacotécnico, os cremes e as loções são formas farmacêuticas que se complementam, fornecendo a quem as prepara um maior número de opções no momento do desenvolvimento de um determinado produto,quando é decidido o quê será feito, para que será feito e como será feito.

Gel –

é também um produto semi-sólido, que pode tanto possuir características oleosas quanto aquosas. O gel é descrito por alguns autores como sendo uma rede de moléculas que interagem quimicamente por meio de ligações cruzadas ou através de interações físicas. Entretanto, o próprio autor afirma que esta é um a definição superficial, pois, apesar dos esforços empreendidos, ainda há grande dificuldade em se definir exatamente o que é um gel. Mas essa questão não deve nos preocupar, pois o que realmente devemos saber sobre os géis não é mais desconhecido.
Devemos saber que: (1) a natureza das moléculas (polares ou apolares) que formam a rede molecular irá determinar a polaridade do produto final; (2) a rede de moléculas formadas é capaz de acomodar outras moléculas, por exemplo, o solvente (água) ou ingredientes ativos (filtros solares); (3) a densidade e natureza das interações entre as moléculas gelificadas irão determinar as características físicas do produto final (ou seja,quanto mais forte essa interação, mais sólido o material e menor a sua capacidade em acomodar outros tipos de moléculas, como a água, por exemplo; (4) a ciência que estuda as características físicas dos géis é chamada reologia, que é derivada da palavra grega “rheo” e significa fluxo, sendo portanto o estudo do fluxo e deformação do material.
Compostos polimerizáveis são muito utilizados na formulação de géis,como os carbômeros, polímeros derivados do ácido acrílico, e também osderivados da celulose, como a hidroxietilcelulose


Óleo –
as formulações cosméticas utilizam esta forma farmacêutica emcertos casos e por dois motivos principais. Primeiro, por serem muito compatíveis com várias vtaminas que possuem caráter apolar; segundo, pelo seu tempo prolongado de permanência sobre a pele, pois sua remoção é mais difícil. A estabilidade de alguns princípios ativos pode ser prolongada nesse tipo de formulação, pois a degradação de uma substância dissolvida
em óleo geralmente é mais lenta em relação àquelas dissolvidas em meio aquoso. O poder hidratante cutâneo dos óleos, no entanto, apresenta mecanismo distinto dos cremes, pois é baseado na oclusão, ou seja, o filme formado sobre a pele dificulta a perda de água.


Fonte:
( http://www.ciencias.seed.pr.gov.br/arquivos/File/sugestao_leitura /53quimica_cosmeticos.pdf )

FÓRMULA MOLECULAR

OLÁ PESSOAL!!!!!
Já estudamos as fórmulas percentuais e mínimas. Agora vamos para a molecular e entender o processo!
No post anterior voce viu que a fórmula, empírica, da vitamina C é C3H4O3 , ou seja , a fórmula mínima .
Para encontrar a fórmula molecular de um composto é necessário saber sua massa molar.
Então vamos aos cálculos:
Sabendo que a fórmula mínima da vitamina C é  C3H4O3, e sua massa molecular igual a 176 g/ mol, calcule sua fórmula molecular.
Dados: c- 12 g/ mol ; H = 1 g/ mol ; O = 16 g/ mol  
 Truque:

C3H4O) . x = 176  como são 3 carbonos, 4 hidrogenios e 3 oxigenios , multiplique a massa de cada um pela quantidade em que aparecem na fórmula:

( 3.12 + 4.1 + 16.3 ) . x = 176
     88 .x = 176   logo   x = 2 
 e agora vamos multiplicar os números de átomos de cada elemento por 2 :

C6 H8 O 6   


 Aí está a fórmula molecular!!!!!!!!!!!!

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante