quarta-feira, 4 de agosto de 2010

BISFENOL A E MAMADEIRAS


ALÔ PESSOAL!
Como estão de frio?
Nevou em 33 cidades do sul do Brasil, fato nunca ocorrido antes...
Sinal que o aquecimento global está fazendo sua parte( veja os incêndios na Rússia).
Mas a notícia de hoje é sobre o bisfenol A- olha a imagem acima (http://www.uff.br)
O que é?
Uma substancia presente nos policarbonatos!
Leia o texto abaixo:

" O Estado americano de Nova York proibiu a venda de mamadeiras e outros produtos infantis que contenham bisfenol A (BPA), substância suspeita de causar doenças como câncer, diabete, obesidade e infertilidade. O BPA já havia sido proibido em outros seis Estados americanos e, no Brasil, é alvo de inquérito do Ministério Público Federal.Presente no policarbonato, um tipo de plástico rígido e transparente, e também na resina epóxi que reveste latas de alimentos, o BPA simula no organismo a ação do hormônio feminino estrogênio e pode causar desequilíbrio no sistema endócrino. Como estão em rápido desenvolvimento e têm pouca massa, os bebês são mais vulneráveis. Além disso, muitos pais costumam esquentar o leite dentro da mamadeira e o aquecimento favorece a liberação do químico".(notícias.uol.com.br)
Será que é assim mesmo????????
XQUIMICA NA DÚVIDA!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

FITOPLANCTON- O VERDADEIRO PULMÃO DO MUNDO


ALÔ PESSOAL!
Essas são algas diatomáceas.
No Estadão on line saiu essa reportagem do Herton Escobar ( 28/julho/2010):
"A notícia sobre essa imagem aí de cima já está circulando na internet desde cedo, mas eu não podia deixar passar uma coisa linda dessas sem escrever alguma coisa a respeito.
O que você está vendo nessa nesta foto são microrganismos chamados diatomáceas. Cada um desses gominhos e cubinhos é um ser vivo completo, ainda que composto de uma única célula (unicelular). Em alguns casos as células estão grudadas umas nas outras, mas ainda assim são vários indivíduos, e não um único organismo multicelular (como se fossem várias pessoas andando de mãos dadas, mas cada uma biologicamente independente da outra).
As diatomáceas são muito mais importantes na sua vida do que você provavelmente imagina. Se você já ouviu falar de fitoplâncton, então já ouviu falar delas. As diatomáceas são uma parte importantíssima do fitoplâncton marinho e realizam nada mais nada menos do que 1/5 de toda a fixação de carbono via fotossíntese do planeta. Elas são pequenininhas (microscópicas) e não vivem tanto quanto uma árvore na Amazônia, mas há muitas delas por aí. MUITAS MESMO!!!
Para se ter uma ideia, um único mililitro de água marinha pode conter facilmente umas 10 mil células desse tipo — sem falar em mais alguns milhões e milhões de bactérias, que são ainda muito menores do que elas. Multiplique isso pela superfície luminosa de todos os oceanos da Terra, e você tem uma ideia de quanto CO2 esses bichinhos estão sugando da atmosfera e quanto O2 eles estão cuspindo de volta para a gente respirar.
Aliás, aproveito para lembrar que essa história de a Amazônia ser o pulmão do mundo é a maior balela ecológica de todos os tempos. Temos milhões de razões para preservar a Amazônia, mas produção de oxigênio certamente não é uma delas. Tudo que a floresta produz de oxigênio durante o dia via fotossíntese ela suga de volta durante a noite, via respiração (é isso mesmo, as plantas também respiram). Portanto, se há alguém que pode ser chamado de pulmão do mundo, esse alguém é o fitoplâncton. Juntos, esses microrganismos todos produzem nada menos do que 50% de todo o oxigênio de origem fotossintética do planeta.
Um estudo publicado na Nature hoje sugere que as concentrações de fitoplâncton nos oceanos está em queda, com uma redução de 40% desde 1950. Ninguém vai morrer sufocado amanhã por causa disso. Mas é algo a se observar com extrema cautela. Pode ser indício de algum distúrbio ambiental significativo, possivelmente relacionado ao aquecimento das águas oceânicas".
E se falamos em sustentabilidade, preservação e biodiversidade, é bom lembrar que todos os seres estão interligados, sejam grandes como uma sequóia ou micróscopicos como a diatomácea.
"A maior importância mesmo do fitoplâncton é que seus organismos são os chamados “produtores primários” da cadeia alimentar oceânica. Sem eles, todo o resto da cadeia entraria em colapso e grande parte da biodiversidade dos mares seria extinta. O fitoplâncton se alimenta de luz solar. Larvas de peixes, crustáceos e outros seres pequeninos se alimentam do fitoplâncton. Animais maiores se alimentam desses animais menores. Animais ainda maiores se alimentam desses últimos e assim por diante….. no fim das contas, até o grande tubarão-branco depende das minúsculas diatomáceas para sobreviver. Imagine só!"
XQUIMICA RESPIRA!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

MARTE E CARBONATOS

ALO PESSOAL!
Segunda feira, muita gente iniciando as aulas, tempo chuvoso!
Diz a meteorologia que vai ficar assim durante a semana... precisamos de umidade!
Agora veja a foto acima.
imagina de onde possa ser?
Marte!
saiu no estadao on line de hoje.

"Pesquisadores americanos identificaram rochas que, acreditam, poderiam conter restos fossilizados de vida em Marte.
A equipe de pesquisadores identificou rochas antigas da Nili Fossae, uma das fossas existentes na superfície do planeta.
O trabalho dos pesquisadores revelou que essa vala em Marte é equivalente a uma região na Austrália onde algumas das mais antigas evidências de vida na Terra haviam sido enterradas e preservadas em forma mineral.
A equipe, coordenada por um cientista do Instituto para Busca de Inteligência Extraterrestre (Seti, na sigla em inglês), da Califórnia, acredita que os mesmos processos hidrotermais que preservaram as evidências de vida na Terra podem ter ocorrido em Marte na Nili Fossae.
As rochas têm até 4 bilhões de anos, o que significa que elas já existiam nos últimos três quartos da história de Marte.
Carbonatos
Quando, em 2008, cientistas descobriram carbonatos nessas rochas de Marte, provocaram grande alvoroço na comunidade científica, já que os carbonatos eram procurados havia tempos como prova definitiva de que o planeta vermelho era habitável e que poderia ter existido vida por lá.
Os carbonatos são produzidos pela decomposição de material orgânico enterrado, se esse material não é transformado em hidrocarbonetos.
O mineral é produzido pelos restos fossilizados de carapaças e ossos, e permite uma maneira de investigar a vida que existia nos primórdios da Terra.
Na nova pesquisa, publicada na última edição da revista especializada Earth and Planetary Science Letters, os cientistas avançaram a partir da identificação dos carbonatos em Marte.
Missão da Nasa O coordenador do estudo, Adrian Brown, usou um instrumento a bordo de uma missão da Nasa estudar as rochas da Nili Fossae com raios infravermelhos.
Eles depois usaram a mesma técnica para estudar rochas na área do noroeste da Austrália chamada Pilbara.
"Pilbara é uma parte da Terra que conseguiu se manter na superfície por uns 3,5 bilhões de anos, ou três quartos da história do planeta", disse Brown à BBC.
"Isso permite a nós termos uma pequena janela para observar o que estava acontecendo na Terra em seus estágios iniciais", explicou.
Os cientistas acreditam que micróbios formaram há bilhões de anos algumas das características distintivas das rochas de Pilbara.
O novo estudo revelou que as rochas da Nili Fossae são muito semelhantes às rochas de Pilbara em sua composição mineral.
Brown e seus colegas acreditam que isso mostra que os vestígios de vida que possa ter existido no início da história de Marte podem estar enterrados nesse local.
"Se havia vida suficiente para formar camadas, para produzir corais ou algum tipo de bolsões de micróbios, enterrados em Marte, a mesma dinâmica que ocorreu na Terra pode ter ocorrido ali", disse. Por isso, segundo ele, que os dois locais são tão parecidos." ( fonte:www.estadao.com.br )
XQUIMICA EXTRATERRESTRE!
observe que estamos falando em carbonatos CO3-²....

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante