quarta-feira, 4 de setembro de 2013

QUIMICA DOS ALIMENTOS- PARTE 1

ALÔ PESSOAL!!!
Mais um assunto listado para o ENEM: Quimica dos alimentos.
Porém esse é um assunto extenso que avalia não só a composição dos alimentos, como também os aditivos, conservantes, edulcorantes para que eles permanecam mais tempo em condições de uso.
 Por isso vamos dividir em partes
Antes veja uma pirâmide alimentar:





Parte 1- COMPOSIÇÃO

Os alimentos são nossa principal fonte de energia. Para desempenhar todas as atividades
do dia a dia nosso organismo necessita de consumo alto de energia e é a partir da
energia gerada pelos alimentos que as desenvolvemos.
Mas os alimentos não são somente fonte de energia, eles também são importantes pois é
a partir deles que recebemos todas as substâncias necessárias para a manutenção dos
nossos órgãos e para o perfeito funcionamento de cada um deles. Portanto, os alimentos
fornecem diversas substâncias que utilizamos nas mais variadas situações durante toda a
nossa vida, que são os chamados nutrientes.
São exemplos de nutrientes proteínas, gorduras, açúcares, vitaminas e sais minerais que são algumas das substâncias presentes em todos os alimentos. Há alimentos que são excelentes fontes de proteínas como carnes, pescados, leite e ovos.

 Outros são mais ricos em açúcares ou carboidratos como o mel.
 Outros são mais ricos em gorduras como a manteiga, o toucinho e os óleos. Outros são excelentes fontes de vitaminas como as frutas e os legumes. 
Os sais minerais reúnem substâncias derivadas dos metais e são essenciais para o
funcionamento normal do organismo de todos os seres vivos.Os carboidratos, por exemplo,que são as principais fontes de energia são produzidos
pelas plantas a partir da utilização da luz solar, do gás carbônico (CO2) da atmosfera e da água (H2O) e sais minerais (p.e. MgSO4) que estão no solo, a reação ocorre na presença da clorofila (C55H55N4O5Mg) que é o pigmento verde das plantas.
As proteínas se constituem em moléculas com peso molecular elevado e desempenham as mais diversas funções no nosso organismo. Podemos citar, por exemplo, a contração muscular, sem a qual não poderíamos nos movimentar. 

As proteínas são macromoléculas obtidas pela reação entre os aminoácidos, que são a unidade fundamental das proteínas. As vitaminas são moléculas muito interessante pois são responsáveis pelo aproveitamento adequado dos diversos nutrientes. Estas substâncias se enquadram em grupo com função química específica, pois suas estruturas moleculares são diversas e são melhores classificadas pela sua solubilidade em água, se constituindo em moléculas polares ou apolares, conforme sejam mais solúveis em água ou em óleo, dessa maneira suas fontes também são aquosas ou oleosas. Por exemplo, a vitamina C (ácido ascórbico), cuja estrutura é mostrada na figura abaixo é solúvel em água (hidrossolúvel)e as melhores fontes são os sucos de frutas cítricas. Já a vitamina A (retinol) ou a vitamina E (tocoferol) são solúveis em gordura (lipossolúveis) e sua melhor fonte é o óleo de fígado de bacalhau, dentre outros.
Além, das proteínas, gorduras,açúcares, vitaminas e sais minerais, há diversas outras substâncias contidas nos alimentos que são importantes para a nossa saúde, como as fibras e os pigmentos, dentre outras.
Além disso, existem também as substâncias que podem estar presentes nos alimentos,
seja naturalmente ou acidentalmente, que podem prejudicar a saúde como os chamados agentes antinutricionais, que são responsáveis por sabor ou odor desagradáveis, ou até por envenenamentos.
Por todas essas razões é haja pesquisas a fim de se determinar a composição química dos alimentos, ou seja que haja informação séria a respeito dos constituintes e de suas quantidades em cada alimento. E isto é muito importante pois é a partir do conhecimento da composição química dos alimentos que podemos escolhermos
alimentos de acordo com as nossas necessidades, já que nas diversas fases de nossa vida podemos apresentar uma necessidade maior de um determinado nutriente em relação a outro. Ou, quando apresentamos determinados quadros de enfermidades devido a deficiência de um determinado nutriente na nossa dieta. Por exemplo, na anemia por deficiência de ferro, nesse caso, é necessário se submeter a uma dieta rica em fontes desse nutriente. Existem diversas outras situações cujo aparecimento de doenças é
devido à deficiências nutricionais; por isso, é sempre interessante manter uma alimentação rica com fontes diferentes dos mais diversos nutrientes.
fonte: http://www.fapern.rn.gov.br

terça-feira, 3 de setembro de 2013

LIGAS METÁLICAS-USOS E OBTENÇÕES

ALÔ PESSOAL!!!
Vamos para mais um assunto de vestibulares, as ligas metálicas.
Prontos?

Definição: 
As ligas metálicas são materiais com propriedades metálicas que contêm dois ou mais elementos, sendo que pelo menos um deles é metal.


Na produção de ligas metálicas, os metais e outros elementos passam por tratamentos térmicos que alteram suas propriedades 

Com certeza voce já ouviu falar de bronze, latão, aço .... e esses não são elementos e não estão na tabela periódica.
Na verdade são todos ligas metálicas, onde os elementos passam por processos que alteram suas propriedades.
Por exemplo, o bronze, citado anteriormente, é uma liga metálica em que se misturaram os metais cobre (Cu – 90%) e estanho (Sn – 10%).
A produção dessa e de outras ligas metálicas se dá normalmente pelo aquecimento conjunto dos metais, até que eles se fundam e se misturem completamente; seguido de seu esfriamento e solidificação.
No nosso cotidiano é muito comum a presença dessas ligas, pois elas podem ter suas propriedades amplamente alteradas por meio do processo utilizado na sua preparação e também pela proporção em que esses elementos são misturados. Em razão desse fator, as ligas muitas vezes acabam sendo mais eficazes que os metais puros e são preparadas com várias finalidades e usos.
Por exemplo, o ferro puro oxida facilmente com o ar, o magnésio é muito reativo e inflamável, o ouro e a prata são moles, etc. Assim, ao misturar esses metais com outros metais ou com outros elementos é possível conseguir materiais com as propriedades desejadas, como maior dureza, menos reatividade e assim por diante.
Veja alguns exemplos de ligas metálicas bem sucedidas:
 
Exemplos de ligas metálicas, suas composições, propriedades e aplicações
fonte: Jennifer Fogaça, Brasil Escola   
Outra coisa:
As indústrias automobilísticas, aeronáuticas, navais, bélicas e de construção civil são as principais responsáveis pelo consumo de metal em grande escala. São também representativos os setores de eletrônica e comunicações, cujo consumo de metal, apesar de quantitativamente inferior, tem importância capital para a economia contemporânea. Ligas metálicas são materiais de propriedade semelhantes às dos metais e que contêm pelo menos um metal em sua composição. Há ligas formadas somente de metais e outras formadas de metais e semimetais (boro, silício, arsênio, antimônio) e de metais e não-metais (carbono, fósforo).
É interessante constatar que as ligas possuem propriedades diferentes dos elementos que as originam. Algumas propriedades são tais como diminuição ou aumento do ponto de fusão, aumento da dureza, aumento da resistência mecânica.( Wikipédia)
Outro fator a ser considerado é se a liga é ferrosa ou não ferrosa.
LIGAS FERROSAS:

O ferro é o constituinte principal. Essas ligas são importantes como materiais de construção em engenharia. As ligas ferrosas são extremamente versáteis, no sentido em que elas podem ser adaptadas para possuir uma ampla variedade de propriedades mecânicas e físicas. A desvantagem dessas ligas é que elas são muito suscetíveis à corrosão. Aços: são ligas ferro-carbono que podem conter concentrações apreciáveis de outros elementos de liga. As propriedades mecânicas são sensíveis ao teor de carbono, que é normalmente inferior a 1%.
  1. Aços com baixo teor de carbono, essas ligas contem geralmente menos que 0,25% de C. como consequência essas ligas são moles e fracas, porém possuem uma ductilidade e uma tenacidade excepcionais; além disso, são usináveis soldáveis e, dentre todos os tipos de aço, são os mais baratos de serem produzidos. Aplicações típicas para este tipo de liga incluem os componentes de carcaças de automóveis e chapas usadas em tubulações, edificações e latas estanhadas.
  2. Aços com médio teor de carbono: esses aços possuem concentrações de carbono aproximadamente de 0,25 e 0,60%p de carbono. As maiores aplicações destas ligas se encontram em rodas de trens, engrenagens, virabrequins e outras peças de alta resistência que exigem uma combinação de elevada resistência, resistência à abrasão e tenacidade.
  3. Aços com alto teor de carbono: esses aços apresentam em média uma concentração de carbono e 0,60 a 1,4%p. são mais duros, mais resistentes e, porem, os menos dúcteis dentre todos os aços de carbono. Esses aços são usados geralmente como ferramentas de corte, bem como para a fabricação de facas, laminas de serras para metais, molas e arames com alta resistência.  
  4. LIGAS NÃO FERROSAS:
  5. São ligas que não possuem como constituinte principal o elemento ferro. Ligas de cobre: o cobre, quando não se encontra na forma de ligas, é tão mole e dúctil que é muito difícil de ser usinado. As ligas de cobre mais comuns são os latões, onde o zinco, na forma de uma impureza substitucional, é o elemento de liga predominante. Ligas de cobre-zinco com concentrações aproximadamente de 35%p de zinco são relativamente moles, dúcteis e facilmente submetidos à deformação plástica a frio. As ligas de latão que possuem um maior teor de zinco são mais duras e mais resistentes.
    Os bronzes são ligas de cobre com vários outros elementos, incluindo o estanho, alumínio, o silício e o níquel. Essas ligas são relativamente mais resistentes do que os latões, porém ainda possui um elevado nível de resistência a corrosão. Alguns outros exemplos de ligas não ferrosas são as ligas de alumínio, que são caracterizadas por uma densidade relativamente baixa, condutividade elétrica e térmica elevada, e uma resistência à corrosão em alguns ambientes comuns, com a atmosfera ambiente.
    Liga de magnésio é caracterizada pela baixa densidade do magnésio que é a mais baixa dentre todos os metais estruturais; dessa forma suas ligas são usadas onde um peso leve é considerado importante, como por exemplo, em componentes de aeronave.
    MÉTODOS DE OBTENÇÃO:

    Processos da fusão

    Fundem-se quantidades adequadas dos componentes da liga, a fim de que estes se misturem perfeitamente no estado líquido. A fusão é feita em cadinhos de ferro, de aço ou de grafite, em fornos de revérbero ou em fornos elétricos. A massa fundida, homogênea, é resfriada lentamente em formas apropriadas. São tomadas precauções especiais para evitar a separação dos componentes da liga durante o resfriamento, para evitar a oxidação dos metais fundidos, para minimizar as perdas dos componentes voláteis, etc. Esse processo também pode ser efetuado na superfície de um corpo. Assim, mergulhando-se folhas de ferro em estanho fundido, forma-se na sua superfície uma liga de ferro e estanho. Obtém-se, assim, a folha-de-flandres, também chamada lata.

    Compressão

    O processo de compressão consiste em submeterem-se misturas em proporções adequadas dos componentes a altíssimas pressões. Esse processo é de importância na preparação de ligas de alto ponto de fusão e àquelas cujos componentes são imiscíveis no estado líquido.

    Processo Eletrolítico

    O processo eletrolítico consiste na eletrólise de uma mistura apropriada de sais, com o fim de se efetuar deposição simultânea de dois ou mais metais sobre cátodos

    Processo de Metalurgia Associada

    O processo de metalurgia associada consiste na obtenção de uma liga constituída de dois ou mais metais, submetendo-se ao mesmo processo metalúrgico uma mistura de seus minérios e etc.

    Oxidação

    A maioria dos metais tende a se oxidar quanto expostos ao ar, especialmente em ambientes úmidos. Entre os vários procedimentos empregados para evitar ou retardar a oxidação, os mais comuns são a aplicação de pinturas protetoras, a formação de ligas com outros elementos que reduzam ou eliminem tal propensão e a conexão a pólos elétricos que impeçam a ocorrência do fenômeno. É interessante o caso do alumínio, que, em presença do oxigênio, forma uma delgada película de óxido que detém a oxidação.
      Acompanhem nossos posts e se atualizem para o vestibular!

     

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DO CLORO

ALÔ PESSOAL! 
Entre os itens pedidos no ENEM,está a obtenção e utilização do cloro.


Vamos lá:
O cloro usado comercialmente com esse nome, não é o cloro que está na tabela periódica.
Na verdade, esse cloro comercial é um sal de cloro, hipoclorito de sódio : NaClO

O cloro livre se apresenta como um gás que possui a coloração amarelo esverdeado, sendo ele venenoso e utilizado como uma arma química (uma de suas aplicações). Seu nome origina do grego chlorós, que significa "amarelo esverdeado". Ele é, geralmente, encontrado na natureza, em combinações, tais como cloretos, sendo estes cloretos encontrados em minerais, como a halita (NaCl), a silvita (KCl) e a carnalita KCl · MgCl2 · 6H2O, que são encontrados em depósitos subterrâneos, (nas minas de sal).
 Na Rússia existe uma grande obtenção de NaCl a partir de minas de sal. O NaCl também é obtido a partir de oceanos, que é a principal forma de obtenção do NaCl no Brasil, sendo que o NaCl é o principal componente do sal de cozinha, que apresenta também KCl e outros sais, mas em menores proporções, além do iodo, que é uma exigência do ministério da saúde para diminuir a incidência de tireoide ou bócio na população. O iodo é adicionado na forma de um sal de iodo, geralmente o KI.
O NaCl é a principal forma de se encontrar o cloro na natureza, ou seja, a principal fonte de obtenção de cloro é a partir do cloreto de sódio.
O cloro industrial (Cl2) é produzido principalmente, pela eletrólise do NaCl fundido ou em solução, sendo assim, o Cl2, ou seja o gás cloro é muito difícil de se encontrar na natureza em concentrações favoráveis.

O cloro  é um elemento químico , símbolo Cl de número atômico 17 ( 17 prótons e 17 elétrons ) com massa atômica 35,45 u, encontrado em temperatura ambiente no estado gasoso. Gás extremamente tóxico e de odor irritante, foi descoberto em 1774 pelo alemão-sueco Carl Wilhelm Scheele.
O elemento cloro está situado na série química dos halogênios ( grupo 17 ou VIIA). No estado puro, na sua forma biatômica (Cl2) e em condições normais de temperatura e pressão, é um gás de coloração amarelo esverdeada, sendo duas vezes e meia mais pesado que o ar. É abundante na natureza e é um elemento químico essencial para muitas formas de vida.
O cloro é empregado para potabilizar a água de consumo dissolvendo-o nela. Também é usado como oxidante, branqueador e desinfetante. É gasoso e muito tóxico (neurotóxico) , foi usado como gás de guerra na Primeira e na Segunda Guerra Mundial.
Este halogênio forma numerosos sais, obtidos a partir de cloretos por processos de oxidação, geralmente mediante a eletrólise. Combina-se facilmente com a maior parte dos elementos. É ligeiramente solúvel em água (uns 6,5 g de cloro por litro de água a 25 °C) formando, em parte, o ácido hipocloroso, HClO.
célula de diafragma industrial para obtenção de cloro e NAOH

Aplicações

O cloro é aplicado principalmente no tratamento de água, no branqueamento durante a produção de papel e na preparação de diversos compostos clorados, como por exemplo o hipoclorito de sódio e hipoclorito de cálcio
  • Um processo de tratamento de águas amplamente utilizado é a cloração. O agente é o ácido hipocloroso , HClO , que se produz dissolvendo cloro na água e regulando o pH.
  • Outra aplicação que vem ampliando sobremaneira os níveis de qualidade de vida das populações que usufruem deste processo, é a aplicação de cloro em estações de tratamento de esgoto.
  • Na produção de papel se emprega cloro no branqueamento da polpa, apesar de estar sendo substituído pelo dióxido de cloro, ClO2.
  • Uma grande parte de cloro é empregada na produção de cloreto de vinila, composto orgânico usado como matéria-prima para a obtenção de policloreto de vinila, conhecido como PVC.
  • Também é utilizado na síntese de numerosos compostos orgânicos e inorgânicos como, por exemplo, o tetracloreto de carbono (CCl4), o clorofórmio (CHCl3) e diferentes halogenetos metálicos. Também é empregado como agente oxidante.
  • Preparação de cloreto de hidrogênio puro, que pode ser obtido por síntese direta: H2 + Cl2 → 2HCl.
Esse resumo é bom para voces terem uma noção do que será pedido em vestibulares!
fonte:(Wikipédia, quiprocura)

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante