terça-feira, 22 de junho de 2010

PÓLVORA NEGRA E FOGOS


ALÔ PESSOAL!
Festa junina lembra fogos de artifício e os fogos lembram química!!!!!!
Aí está um esquema de um tipo de fogo de artifício.
Vejam que tem dois itens interessantes: pólvora negra e estrelas.
Primeiro: pólvora negra.
Voce tem idéia do que é?
Uma mistura bem sucedida de 74 % de salitre- nitrato de potássio ( KNO3) ou nitrato de sódio ( NaNO3)- 16% de carvão e 10% de enxofre, misturados à goma laca ou ao breu, que regulam a velocidade da combustão.
Veja que a pólvora está dispersa entre as "estrelas".
as estrelas ou baladas são feitas de uma massa que contém
combustível
oxidante
pólvora de ferro ou aço
aglutinante
e substancias químicas responsáveis pelo colorido.
A temperatura necessária para ativar os fogos de artifício é cerca de 3600°C, sendo que a chama do seu fogão nunca atinge mais de 800°C.
A cor emitida pelos fogos de artifício depende dos íons que entram na composição :
Sr+2 - produz luz veremelha e é fornecido por nitrato de estroncio ( Sr( NO3)2 ) ou oxalato de estroncio ( SrC2O4 )
Cu+2 - produz cor azul ( chama elevada ) ou verde ( chama baixa )
Na+ - luz amarela que , à noite, fica dourada
Já o picrato de potássio ( C6H2 (NO2)3OK ) produz um "som" como um silvo, agudo e prolongado.
No foguete cilindrico o próprio estopim acende o pavio que ao explodir arremessa o conteúdo para todos os lados ( partículas incendiadas) que caem por gravidade, formando uma chuva de faíscas.
E as velinhas que ficam brilhando e faiscando?
São feitas de nitrato de bário , goma arábica, ferro em pó.
XQUIMICA BRILHA!!!!!!!!☼

ENEM 2010

ALÔ PESSOAL!!!!!!
Já sabem que abriram as inscrições do ENEM, ontem, não é?
Como, não sabem?
Leiam!!!!!!!!! e se informem!
As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010 começou nesta segunda-feira, 21 de junho. As inscrições estão abertas exclusivamente via internet até o dia 9 de julho. As provas serão realizadas nos dias 6 e 7 de novembro. O exame terá 180 questões de múltipla escolha e uma redação. A novidade para a edição deste ano é a inclusão de língua estrangeira. No momento da inscrição, o aluno deverá escolher entre o inglês e o espanhol.
O Ministério da Educação (MEC) informou que será necessário que o estudante informe o número do seu CPF, porque não será aceito o dos pais ou responsáveis, mesmo que o estudante seja menor de idade.
Segundo o MEC, o próprio sistema de inscrição vai impedir que participantes usem o número do CPF de terceiros, pois buscará as informações do titular na base de dados da Receita Federal. Os estudantes que não tiverem o documento podem retirá-lo em qualquer agência dos Correios, Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. No caso dos menores de 16 anos, é preciso que esse pedido seja feito pelos pais ou pelo responsável legal.
No primeiro dia (sábado, 6 de novembro), as provas serão de ciências da natureza e humanas, cada uma com 45 questões. No domingo (7), os candidatos serão avaliados em matemática e linguagens, cada uma com 45 questões, além da redação.
A taxa de inscrição será de R$ 35. Estudantes que cursam o 3º ano em escola pública não pagam. Outros candidatos interessados na isenção poderão fazer o pedido assinando uma declaração de carência (http://noticias.terra.com.br )

domingo, 20 de junho de 2010

CONSEQUENCIAS DO VAZAMENTO NO GOLFO

ALÔ PESSOAL!
Já repararam que, com o passar do tempo, parece que as pessoas vão se acostumando com as catástrofes?
O vazamento de petróleo que foi notícia mundial há menos de um mes,não tem encontrado espaço na mídia.
Mas alguns estão de vigília e XQUIMICA se junta a eles.
O texto a seguir é uma tradução livre dohttp://www.biologicaldiversity.org/ :
Em 14 de junho, um painel do governo anunciou um derrame de 2,5 milhões de litros de petróleo por dia no Golfo.
Em 19 de maio, o óleo pesado desembarcou pela primeira vez sobre os pântanos perto da foz do rio Mississippi. Em 23 de maio, funcionários do governo anunciaram que estavam dirigindo toda a água que fluia para desvios ao longo do rio Mississippi fora do Golfo, em uma tentativa desesperada de manter o óleo mais pesado de entrar no Delta do Mississipi. As autoridades temem que, uma vez o óleo tendo chegado,a vegetação do pântano morre, as ilhas costeiras e zonas costeiras vão se desintegrar. Isso vai acelerar os problemas já graves na Louisiana :erosão costeira e a desintegração do habitat dos animais selvagens. Além disso, o óleo pesado da infiltração do interior pântanos de Barataria Bay pode ameaçar o abastecimento de água potável para as comunidades locais.
Óleo e detritos oleosos chegaram aos principais santuários de aves de criação, incluindo a Ilha de Raccoon e National Wildlife Refuge Breton onde garças e pelicanos marrons foram encontrados, e o refúgio foi fechado ao público por razões de segurança .A área dispõe de habitat de nidificação e paragem chave migratória de milhares de aves, bem como habitat de pesca importante.
O fedor de petróleo permeia as zonas costeiras, onde está causando dores de cabeça, ardor nos olhos, náuseas e entre as pessoas que ali vivem e graves doenças entre os trabalhadores de limpeza.
A Guarda Costeira agora acredita que o vazamento foi desmembrado em centenas de milhares de pequenas manchas de óleo, que estão sendo espalhadas em diferentes direções dos ventos e correntes. A BP está inundando a superfície e o fundo do oceano com centenas de milhares de litros de químicos tóxicos "dispersantes" em uma tentativa desesperada para manter o óleo na superfície Estes produtos químicos se ligam com gotas de óleo de modo que elas afundam e se tornam "dispersos" por correntes. Em junho de 18, mais de 931 mil litros de dispersantes foram aplicadas sobre a superfície e 436 mil litros foram bombeados em profundidade da coluna de água, em um esforço para diluir o óleo. Os efeitos do uso de dispersantes em profundidades ou em volumes tão grandes não foram testados. Além disso, COREXIT, o dispersante que a BP está bombeando no Golfo, foi proibido no Reino Unido devido a preocupações de que provocava danos ao ambiente marinho.
Grande parte do óleo permanece debaixo d'água. Em 16 de maio, relatórios revelaram a descoberta de enormes "globos" de óleo no fundo do Golfo. Um desses "globos" atualmente mede 10 quilômetros de comprimento, três quilômetros de largura e 300 metros de espessura. . O "globo" já sugou quase um terço do oxigênio da água em torno dele. Em 28 de maio, os pesquisadores anunciaram que haviam encontrado um outro "globo" de petróleo em águas profundas a cerca de 20 quilômetros a nordeste da plataforma que desabou,ou Horizon Deepwater. Eles acreditam que o "globo" de 22 milhas de comprimento e seis milhas de largura de gotículas de óleo, pairando mais de dois quilômetros abaixo da superfície, podem ter resultado do uso excessivo da BP de dispersantes.
Os cientistas temem que, além de intoxicação por plantas e animais na base da cadeia alimentar, o óleo pode causar a queda dos níveis de oxigênio e criar grandes "zonas mortas". Além disso, o petróleo submerso pode acabar com as valiosas formações de corais no Golfo, como os jardins floridos. Os cientistas dizem que é improvável que qualquer parte do ecossistema do Golfo irá escapar os efeitos nocivos do petróleo e dispersantes.
As especies ameaçadas vão desde os camarões e peixes, até as cachalotes, golfinhos,aves e seus ovos, tartarugas,corais, plantas aquáticas, vegetação do entorno, animais que se alimentam de especies marinhas e o próprio ser humano que se alimenta dos produtos da pesca.
Não se esqueça que o Golfo é um berçário fragil e, agora, em vias de desaparecimento.
Este tipo de poluição está relacionada com as emissões na atmosfera e na água de substâncias altamente poluentes (como o metano eo dióxido de carbono), que afetam a mudança climática.
Os ecossistemas marinhos expostos a grandes quantidades de petróleo bruto, leva três anos para recuperar, no entanto, os contaminantes do petróleo refinado, precisa de dez.
Em termos de praias poluídas, o que também causa dificuldades econômicas para a cidade (como eles perdem o rendimento da pesca e do turismo), requerem pelo menos um ano para se recuperar.
A primeira conseqüência é o aparecimento de aves "oleadas", a maioria morre de hipotermia (plumagem é de proteção e isolamento). Além disso, alguns podem perder sua habilidade de flutuar e voar.
Também a falta de luz é produzida pela película de óleo combustível que reduz a oferta de oxigênio para o ecossistema marinho, essas manchas são capazes de matar o plâncton: muitos pequenos organismos que vivem perto da superfície e formam a base de toda a cadeia alimentar .

Há também outras substâncias que venham a surgir a partir do vazamento de óleo, que afetam a saúde humana, tais como hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HPAs compostos orgânicos persistentes, de modo que pode permanecer no ambiente de um longo tempo), benzeno, compostos organoclorados e vários metais pesados. Podem promover, por exemplo, o desenvolvimento de tumores.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante