quarta-feira, 30 de setembro de 2015

OS SERES QUE NOS HABITAM

ALÔ PESSOAL!!!!
Hoje á postagem é mais biológica que química, mas interessante sem dúvida!
A tradução, feita pelo XQUIMICA, de uma matéria que você encontra aqui, na integra:
http://cen.acs.org/articles/93/i38/Harnessing-Hordes-Microbiome.html


09338-cover-microbesw


Nós os seres humanos, nascemos sozinhos. Mas essa solidão é passageira. Mesmo quando saímos do útero, começamos a acumular as primeiras centenas de nossos companheiros- ao longo da vida uma rica população de micróbios que vivem dentro e sobre nós. No momento em que vamos ao jardim de infância, estamos em desvantagem: as células microbianas que levamos são em número  muito superiores a nós.
Mantemos uma simbiose com o nosso microbioma que ajuda a manter-nos saudáveis. Seu trabalho inclui quebrar alimentos, que de outra forma o organismo não digere, metabolizar nutrientes em vitaminas necessárias, ajudando a regular os níveis de glicose, e enviar sinais para o  sistema imunológico.
"Nós temos uma centena de trilhão de bactérias em nossos corpos e em que co-evoluíram com a gente desde o alvorecer da humanidade", observa Peter DiLaura, diretor executivo da empresa de biotecnologia focada no microbioma "Segundo Genoma".
Quando o equilíbrio nessa comunidade vibrante é interrompido conhecido como "disbiose" -a saúde de seu hospedeiro pode sofrer. Desde o lançamento do Projeto Microbioma Humano 2008, os Institutos Nacionais de Saúde fazem esforços para mapear o que vive em nós e onde. O campo do microbioma tem visto uma explosão de publicações e conexões entre nossas bactérias e nossa saúde . Em muitos casos, os resultados são meramente correlações.
Os pesquisadores ainda precisam provar se um desequilíbrio na comunidade microbiana é uma causa ou contribuinte, ao invés das consequências, as doenças. Mas a evidência que nossas bactérias nossos comensais diários podem desempenhar um papel na doença é atraente o suficiente para chamar pesquisadores e investidores para o desenvolvimento de terapias baseadas em no microbioma ou através dele.
 Os últimos cinco anos têm visto uma proliferação de empresas com múltiplas abordagens para alavancar a interação entre os nossos erros e nossos corpos.
Vários avanços tecnológicos e clínicos têm convergido para produzir a atual mania microbioma. O desenvolvimento mais crítico tem sido a capacidade de usar o seqüenciamento de genes para identificar rapidamente os micróbios acampados no corpo humano e, por vezes deduzir a sua função.
Os  avanços tecnológicos permitem que hoje se trace um genoma correspondente ao microbioma e baseado  nisso, uma população que está prejudicando o organismo, pode ser trocada por outra mais saudável.
Quando um paciente de hospital toma antibióticos de amplo espectro para combater uma infecção, uma cepa perniciosa chamada Clostridium difficile é capaz de escapar da morte através da formação de esporos de proteção. Após as outras bactérias terem sido eliminadas , C. difficile reaparece e domina o intestino , causando diarreia grave e dores abdominais . Desesperado para tratar pessoas infectadas por este erro potencialmente mortal , um pequeno número de médicos nos últimos anos virou-se para um método que parece horrível : transplante de microbiota fecal , ou repovoar as bactérias no cólon de um paciente usando uma amostra de fezes de um voluntário saudável. Transplantes fecais foram apontados como responsáveis pela cura de  até 90 % dos doentes com C. difficile .
Não só isso, mas a resposta é durável . Para a maioria dos pacientes a infecção não voltar.



segunda-feira, 28 de setembro de 2015

CASA ECOLÓGICA - PARÂMETROS

ALÔ PESSOAL!!!
Nesse universo ecológico é natural que as casas  tenham algum tipo de diferenciação, que ajude no processo de evitar um colapso global.
Existem parâmetros que devem ser seguidos e cuidados a serem tomados na realização dos chamados prédios e casas verdes, ou ecologicamente corretos.
No site do Top Blog saiu essa matéria bem interessante:


"Ao ouvir o termo “casa ecológica”, você já pensa naquelas construídas com paredes de garrafas pet? Esse é um dos exemplos, mas está longe de ser o único. A verdade é que já existem casas edificadas de modo a respeitar o meio ambiente, mas que têm uma estética muito bonita, onde realmente qualquer pessoa pode morar.
A casa ecológica é aquela que aproveita a máxima potencialidade dos recursos naturais, mas sempre de forma sustentável. Veja agora alguns aspectos de uma residência como essa:
Orientação para o sol: o simples detalhe da escolha da direção da casa já é um aspecto ecológico. Quando ela é orientada pelo sol, há um maior aproveitamento da energia solar, seu calor e luminosidade, o que permite uma boa economia de energia elétrica.
Um outro detalhe é o material, sendo a madeira proveniente do reflorestamento um dos mais indicados. A madeira é natural e passa por um processamento mais simples, que utiliza menos energia. Mas é importante que ela tenha certificação de origem, comprovando que foi extraída sem degradar o meio ambiente.
Outros materiais que também podem ser usados na construção de uma casa ecológica são os seguintes: cerâmica, tintas biológicas e isolamentos naturais feitos com fibras vegetais.
Uso de sistemas de captação de energia solar para aquecer a água usada na casa: Existem anda os painéis fotovoltaicos, que convertem a energia absorvida do sol em energia elétrica, no entanto, eles ainda possuem um custo elevado, por isso são utilizados em empreendimentos de grande porte ou por pessoas de alto poder aquisitivo.
Sistema de captação da água da chuva: Se a casa estiver em uma região chuvosa, mais da metade da água necessária para a família pode ser obtida desse modo.
A estação doméstica de tratamento de esgoto também já é uma realidade, que permite que o esgoto seja tratado em casa e a água seja utilizada em algumas tarefas, como a limpeza e a lavagem do carro, por exemplo.
Além de beneficiar o meio ambiente, a casa ecológica também é uma alternativa para as famílias que desejam economizar a médio e longo prazo. Vale à pena pensar na possibilidade!"


http://www.topblog.com.br/2015/08/27/afinal-o-que-define-casas-ecologicas/


Foto: Hans Drexler - CC BY NC 2.0 via Flickr

SEMELHANTE AO VIDRO- SÓ QUE SINTÉTICO

ALÔ PESSOAL!!
Mais uma da química dos elementos: transparência de vidro a partir de uma substancia química:


Pesquisadores do Naval Research Laboratory (NRL) anunciaram o sucesso na criação de um novo formato de painel de cerâmica, uma espécie de material que lembra o vidro, mas é muito mais resistente e leve, preservando ainda a transparência.
Trata-se do espinélio (spinel, no original em inglês) — na verdade, uma versão sintética desse mineral, que também é conhecido como aluminato de magnésio. Um processo similar de fabricação do vidro já existia, porém gerava muitas imperfeições. Agora, o NRL atingiu um alto nível de produção e decidiu anunciar a tecnologia para a comunidade.
Em pó, o espinélio passa por uma máquina que aplica pressão aquecida em um ambiente de vácuo. Isso permite ainda que ele possa ser moldado em diferentes formas, como lentes de câmeras ou telas de smartphone. Ele ainda pode ser polido e lixado para ficar visualmente mais transparente e chamativo.



                                  A prensa que realiza a produção do espinélio


Os destaques do espinélio sintético são a resistência e a leveza: se uma janela à prova de balas atual precisa de camadas e mais camadas de plástico e vidro com até 5" de espessura, o novo material reduziria drasticamente essa necessidade para garantir a mesma segurança. A tecnologia militar deve se aproveitar do material, especialmente em drones e escudos de proteção.

A versão final parece um vidro comum.


O desafio atual dos cientistas é reduzir o custo de produção e finalização das peças. Por enquanto, portanto, o espinélio deve continuar produzido e utilizado somente em laboratório.
Fonte(s) NRL/Kyra Wiens
Imagen(s)NRL NRL

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante