segunda-feira, 16 de outubro de 2017

pH e pOH - SIMPLES!

ALÔ PESSOAL!
Mais um vídeo do nosso CANAL XQUIMICA, falando sobre os conceitos e aplicações do pH e pOH.
Lembrando que podemos usar o pHmetro para medir esse pH com precisão!!!






UMA UTILIZAÇÃO IMPORTANTE!!!!
Um novo tipo de embalagem biodegradável para alimentos, criada em pesquisa da Escola Politécnica (Poli) da USP, muda de cor quando o produto começa a se deteriorar, indicando aos consumidores que está impróprio para o consumo. A embalagem, feita com fécula de mandioca, possui um pigmento chamado antocianina, que altera sua cor quando há mudança no pH  do produto (passando de ácido para básico), que acontece durante o processo de deterioração. O projeto foi criado pela engenheira agroindustrial Ana Maria Zetty Arenas, no Laboratório de Engenharia de Alimentos da Poli, e pode ser usado em embalagens de peixe cru.
Filme para embalagem com cor alterada pela mudança de pH do alimento (à esquerda)

“O estudo faz parte de um projeto que visa produzir filmes biodegradáveis com fécula de mandioca para utilização em embalagens, agregando algum tipo de funcionalidade além da proteção do produto”, conta a professora Carmemn Tadini, do Departamento de Engenharia Química da Poli, que coordenou a pesquisa. “Atualmente, também são desenvolvidas embalagens que possuem princípios ativos com ação antimicrobiana, para minimizar ou evitar o crescimento de micro-organismos, e outras que funcionam como dispositivos para liberação de medicamentos, chamadas de embalagens ‘ativas'”.
Na elaboração da embalagem foi adicionada a antocianina, um pigmento natural responsável pela ampla gama de cores (azul, violeta, vermelho e rosa) na maioria das flores e dos frutos. “Os grupos de moléculas metoxila e hidroxila, além da presença do açúcar e de ácido, têm um efeito importante sobre a cor e a estabilidade das antocianinas”, descreve Carmen. “Com o aumento do número de hidroxilas, a coloração das antocianinas muda de rosa para azul ou cinza. Essa mudança pode ser verificada, por exemplo, no repolho roxo, na uva e na jabuticaba”, acrescenta. Na pesquisa, foi testado o efeito do pigmento em embalagens de peixe cru, do tipo que é vendido em supermercados.
A professora explica que quando o peixe começa a se deteriorar, ocorre um aumento do pH devido à decomposição de aminoácidos e da ureia e à desaminação oxidativa da creatina, liberando aminas voláteis que dão origem ao chamado “cheiro de peixe podre”. “O pH da carne aumenta até ser tornar básico, ou seja, maior do que 7, processo que dura cerca de três dias”, afirma. “A embalagem com a antocianina, que tem uma cor vermelha muito intensa, em contato com as moléculas voláteis vai ficando cinza-escuro”.
Vida de prateleiraA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabelece que o peixe com pH acima de 6,8 é considerado impróprio para consumo. “Nos testes da embalagem com antocianina, a mudança de cor aconteceu somente depois que o pH ultrapassou o limite estabelecido”, diz Carmen. “Além da mudança de cor ser percebida visualmente, ela também foi confirmada por meio de equipamentos de medida analítica de cor”.
Cor de filme biodegradável de fécula de mandioca vem do pigmento antocianina
De acordo com a professora, a antocianina pode ser utilizada na produção de uma “embalagem inteligente” (“smart package”). “O filme funcionaria como uma espécie de vitrine, com a embalagem incluindo uma paleta de cores para informação ao consumidor”, explica. “A vida de prateleira do produto pode terminar antes do prazo estimado, devido, por exemplo, a microfissuras que eventualmente apareçam na embalagem. Dessa forma, a mudança de cor alertaria aos consumidores e também aos comerciantes de que o produto se tornou impróprio para ser comercializado e consumido”.
Para a embalagem ser utilizada em escala industrial serão necessários testes de fabricação do produto em uma planta-pliloto. “Isso é necessário já que a produção de embalagens exige grandes volumes de produção”, afirma a professora. “ No momento, a eficiência da embalagem já foi comprovada em testes de laboratório. Além de ser resistente e proporcionar selagem térmica, ela também pode ser confeccionada em forma de bolsa”.
fonte: http://www.usp.br/agen/?p=134049


pHMETRO:


http://www.alpax.com.br



quinta-feira, 28 de setembro de 2017

ISOMERIA PLANA, GEOMÉTRICA E ÓPTICA - CANAL XQUIMICA

ALÔ PESSOAL!!!


MAIS UM VIDEO DO NOSSO CANAL.
SEMPRE AJUDANDO VOCE A ENTENDER UM POUCO MAIS....










DÚVIDAS?


COMENTÁRIOS?


É SÓ MANDAR!

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

QUAIS AS VERDADES SOBRE POLUIÇÃO?

ALÔ PESSOAL!
Há alguns fatores que podem mostrar que nem tudo na poluição e na reciclagem são verdades absolutas.
Leia esse texto, da SUPERINTERESSANTE.

Falsos vilões
Cortar árvores, eliminar carbono, sacos plásticos: tudo isso faz mal para o planeta. Mas a história não acaba por aqui
A indústria do papel
Derrubar um campo de futebol de floresta equivale a emitir 500 toneladas de CO2. Mas reflorestar esse mesmo terreno para produzir madeira e papel limpa a atmosfera. A lógica é simples: ao crescer, a árvore absorve CO2, fazendo o famoso sequestro de carbono, que é armazenado na celulose usada para a produção do papel. No Brasil, a indústria de celulose emite 21 milhões de toneladas de CO2, mas as florestas plantadas de pinus e eucalipto sequestram 64 milhões de toneladas de CO2. Ou seja, essa conta dá superávit – a plantação limpa mais do que polui. E tem um detalhe, enquanto cresce, uma floresta capta muito mais CO2 do que quando chega à maturidade. Por isso, em termos de limpeza de carbono, é até melhor derrubar e plantar uma floresta nova do que deixar uma sempre de pé. Além disso, a indústria do papel garante que sempre exista uma cobertura de árvores em seus terrenos – afinal, mesmo quando ela está cortando um lote de floresta para produzir papel, há um outro que está de pé (e respirando) . E o melhor para a sua consciência é que o papel utilizado no Brasil não vem do desmatamento de mogno na Amazônia, mas da colheita de eucalipto e pinus de florestas plantadas no sul do país (veja quadro).
Mais limpo que sujo
Cortar árvores é ruim. Mas replantá-las o tempo todo limpa a atmosfera.
21 milhões de toneladas de CO2 é o que emite a indústria do papel.
64 milhões de toneladas de CO2 é quanto absorvem as árvores da mesma indústria.

É pinheirinho
Veja os estados que mais produzem papel no Brasil.
44% – São Paulo
21% – Paraná
19% – Santa Catarina
4% – Bahia
4% – Minas Gerais
8% – Outros*
O papel produzido na região Norte é usado em embalagens e papel higiênico para consumo local.

Fonte 
Associação Brasileira de Celulose e Papel

Embalagens (de vegetais)
Sim, as embalagens são os vilões dos lixões. Mas, por outro lado, elas ajudam a evitar o desperdício de alimentos. (No Brasil, um terço da comida vai parar no lixo.) Veja como algumas embalagens em lugares certos podem ajudar.
3 a 14 dias a mais: é quanto duram pepinos se estiverem embalados por 1,5 grama de plástico.
27% menor – A perda de maçãs embaladas.
3% a mais é quanto dura a batata empacotada, porque evita o contato com a luz.
20% menor é a perda de uvas embaladas
Peixe – Apesar da lata de aço, o peixe enlatado tem uma pegada de carbono menor porque elimina a necessidade de refrigeração.
Fonte Morissons UK; Cucumber Growers Association

Pode andar de carro velho

Faz sentido comprar um carro pequeno que consome menos combustível e, consequentemente, libera menos carbono, certo? Nem sempre. Suponha que você quer trocar seu carro 1.0 que faz 10 km por litro de gasolina por um que rode 15 km. Primeiro, você tem de levar em consideração que produzir um carro novo gasta cerca de 7 toneladas de CO2. Afinal, até chegar às concessionárias, vai ter envolvido extração de minérios, transporte de matérias-primas e fabricação. E tudo isso gasta energia. Assim, você vai ter que andar 70 mil quilômetros com o seu carro novo para economizar as 7 toneladas de CO2 que você eliminou comprando o carro. Se você rodar 23 km por dia, essa quilometragem só será alcançada depois de 8 anos – e seu carro novo já estará velho de novo.
Pobres pássaros
Toda vez que há um derramamento de petróleo, os jornais ficam repletos de imagens aterrorizantes de pássaros cobertos de óleo. Mas a verdade é que a produção de energia não é a maior vilã das aves – fazemos coisas muito piores. Veja aqui os hábitos humanos que matam mais pássaros:

TUDO MATA
Mortes de aves ao ano, por categoria.
6 147 – Vazamento de óleo da British Petroleum.
270 mil – Geradores de energia eólica.
10 milhões – Gatos domésticos.
80 milhões – Carros comuns.
130 milhões – Fios elétricos.
550 milhões – Choques em prédios.
Fonte: American Wind Energy Association

Falsos mocinhos


Infelizmente, na sustentabilidade, não há soluções totalmente limpas. Até mesmo as ações que prometem salvar o ambiente podem não ser tão milagrosas assim

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

PLÁSTICOS - INTRODUÇÃO - TERMOPLÁSTICOS E TERMOFIXOS

ALÔ PESSOAL!
 Introdução sobre plásticos: o básico para você começar a entender esse componente tão importante na vida atual!


Os Plásticos



Plástico, tem seu nome originário do grego "plastikos" que significa - capaz de ser moldado, é um material de origem natural ou sintética, obtido a partir dos derivados de petróleo ou de fontes renováveis como a cana-de-açúcar ou o milho.
Os plásticos fazem parte da família dos polímeros que são formados por macromoléculas caracterizadas pela repetição múltipla de uma ou mais unidades químicas simples, os monômeros, sendo unidas entre si por reações químicas chamadas de reações de polimerização, como nos exemplos abaixo:
Imagem
    Estes materiais são divididos em duas grandes categorias, os termoplásticos e os termofixos. Os termoplásticos são aqueles que podem ser moldados várias vezes por ação de temperatura e pressão, por isso são recicláveis, já os termofixos sofrem reações químicas em sua moldagem as quais impedem uma nova fusão, portanto não são recicláveis.
Os materiais plásticos vêm sendo utilizados há muitos anos em substituição a diversos tipos de materiais como o aço, o vidro e a madeira devido às suas características de baixo peso, baixo custo, elevadas resistências mecânica e química, facilidade de aditivação e ainda por serem 100% recicláveis.
Os tipos de plásticos mais consumidos atualmente são os Polietilenos (PE), Polipropilenos (PP), Poliestirenos (PS), Policloretos de vinila (PVC) e os Poliésteres (PET), sendo chamados de commodities devido à grande produção e aplicação destes materiais.
Outros tipos de materiais plásticos são produzidos em menor escala devido ao seu alto custo e aplicações específicas e são chamados de plásticos de engenharia ou especialidades, são eles as Poliamidas (PA), os Policarbonatos (PC), os Poliuretanos, (PU, TPU, PUR), os Fluoropolímeros (PTFE), dentre outros.
As propriedades destes materiais dependem do tamanho, da composição, da estrutura química dentre outros fatores e estas propriedades se relacionam diretamente com suas aplicações, sendo assim, por exemplo, se um material possui resistência química, ele poderá ser utilizado em ambientes onde há exposição constante a algum produto químico ou semelhante, como é o caso do PE utilizado em embalagens para produtos químicos, produtos de limpeza como água sanitária, álcool etc, sem que seja atacado. Outro exemplo pode ser o PC que possui excelente resistência ao impacto e é um material transparente, sendo assim, é utilizado em escudos da polícia, lentes para óculos, telhas, faróis de veículos automotores, etc.

TERMOPLÁSTICOS  - PODEM SER RECICLADOS
http://alunosonline.uol.com.br

Exemplos principais de produtos feitos com polímeros de adição.
http://alunosonline.uol.com.br




POLÍMEROS TERMOFIXOS












http://alunosonline.uol.com.br















fonte:http://www.abiplast.org.br

CANAL XQUIMICA- ENTENDA DE UMA VEZ OS RADICAIS ORGÂNICOS!

ALÔ PESSOAL!!!!


Esse vídeo sobre radicais químicos foi desenvolvido através de pesquisa sobre as dificuldades encontradas.
Dessa forma, os exercícios complementam e se você tiver mais dúvidas, deixa seu recado!










Lembre que os radicais tem uma importância muito grande na construção de uma cadeia carbônica .
Normalmente as cadeias ramificadas estão sujeitas a forças intermoleculares mais fracas.
logo, suas ligações podem ser "quebradas " com mais facilidade.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

CANAL XQUIMICA - VIDEO SOBRE SAIS DE ÁCIDOS CARBOXÍLICOS E EXERCÍCIOS

ALÔ PESSOAL!!!
Mais um vídeo sobre os sais carboxílicos e exercícios de reconhecimento de funções.






Dúvidas? Comentem, perguntem!




as fórmulas usadas nos exercícios do vídeo para sua  melhor visualização:


Curcumina:









Gossipol:






fonte imagens: Wikipédia e mundoeducacao.bol.uol.com.br

CANAL XQUIMICA- VIDEO SOBRE AMINAS E AMIDAS

ALÔ PESSOAL!!


Novo vídeo do CANAL XQUIMICA, abordando as funções nitrogenadas, aminas e amidas.
Qualquer dúvida, comentem!










segunda-feira, 28 de agosto de 2017

FOGO AZUL

ALÔ PESSOAL!!!




Estamos em épocas de descobertas, portanto, esse vídeo do novo fogo azul é uma delas!




O novo fogo foi descoberto por cientistas da Universidade de Maryland, que conseguiram produzi-lo queimando oxigênio puro.
Ele é 100% azul, o que indica altíssima eficiência (mesmo a chama do fogão doméstico, uma das mais eficientes que existem, tem um pouco de amarelo – um sintoma de combustão incompleta). “Os tornados azuis evoluem de vórtices com o tradicional fogo amarelo. A cor amarela, alias se dá pela irradiação de partículas de fuligem, que se formam quando não há oxigênio o suficiente para queimar o combustível por inteiro”, afirma Elaine Oran, co-autora do estudo






 



Os pesquisadores conseguiram manter o fogo por oito minutos, mas pretendem estender esse tempo. A ideia é usá-lo em caldeiras supereficientes, capazes de gerar calor emitindo menos CO2 do que as chamas tradicionais!
fonte: SUPERINTERESSANTE

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ADITIVOS QUÍMICOS ARTIFICIAIS - O BEM E O MAL

ALÔ PESSOAL!!!!
Novos temas, novas discussões sobre assuntos muito importantes.
Você sabe o que são aditivos químicos? Onde são usados?
E se são mesmo necessários?
Todos são sintéticos? Ou tem algum "natural"?
Não se pode falar em alimentação livre de substancias "químicas' sem olhar para os aditivos...por isso é importante ler o rótulo do que se compra: não só o prazo de validade, mas os aditivos que estão inseridos nesta compra.


Definindo:
 A  Anvisa considera aditivo alimentar "qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos, sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais". Essa adição pode ser feita durante a fabricação, o processamento, o preparo, o tratamento, a embalagem, o acondicionamento, a armazenagem, o transporte e até na manipulação de um alimento.


Tipos de aditivos químicos:


Os aditivos da sua comida


Conheça as principais substâncias usadas pela indústria alimentícia e para que elas servem:
Antioxidante (ANT)Substância que retarda o aparecimento de alteração oxidativa no alimento — ou seja, evita que eles estraguem muito rápido. Um exemplo é o ácido ascórbico.
imagem: Wikipédia
Corante (COL)Substância que confere, intensifica ou restaura a cor de um alimento. Pode ser natural ou artificial. Exemplo: tartrazina.( amarelo)


imagem:2.bp.blogspot.com






Conservante (CONS)Impede ou retarda a alteração dos alimentos provocada por micro-organismos ou enzimas. Exemplo: ácido acético.( vinagre)
imagem: cdn.portalsaofrancisco.com.br


Edulcorante (EDU)Substância diferente dos açúcares que confere sabor doce ao alimento. Exemplo: aspartame.
imagem: Wikipédia


Espessante (ESP)Aumenta a viscosidade de um alimento sem alterar significantemente outras propriedades. Entre os alimentos que podem conter espessantes estão geleias, gelatinas, sorvetes, pudins, maionese e leite achocolatado. Exemplo: goma arábica.
 imagem:https://thumbs.dreamstime.com



Acidulante (ACI)Aumenta a acidez ou confere um sabor ácido aos alimentos. Também influi na conservação dos alimentos. Exemplo: ácido cítrico.
imagem:https://www.iquimicas.com
Emulsificante (EMU)Mantém uma dispersão uniforme de um líquido em outro, como óleo e água, tornando possível a formação ou manutenção de uma mistura uniforme de duas ou mais fases imiscíveis no alimento. As lecitinas e os polisorbatos são muito usados em chocolates, margarinas e alguns salgadinhos. Exemplo: sorbitol.
imagem: Wikipedia
Melhorador de farinha (FLO)Substância que, agregada à farinha, melhora sua qualidade tecnológica para os fins a que se destina. Exemplo: lactato de cálcio.
imagem:Wikimedia.org
Flavorizantes (EXA)Ressalta ou realça o sabor/aroma de um alimento. Exemplo: glutamato monossódico e baunilha.
imagem:alunosonline.uol.com




Fermento químico (RAI)Substância ou mistura de substâncias que liberam gás e, assim, aumentam o volume da massa. Exemplo: ácido glucônico.
imagem:aefa-agronutrientes.org




Glaceante (GLA)Substância que, quando aplicada na superfície externa de um alimento, confere uma aparência brilhante ou um revestimento protetor. Exemplo: ácido esteárico.


imagem:https://uniiquim.iquimica.unam.mx




Agente de firmeza (FIR)Substância que torna ou mantém os tecidos de frutas ou hortaliças firmes ou crocantes, ou interage com agentes geleificantes para produzir ou fortalecer um gel. Exemplo: gluconato de cálcio.
imagem: Wikimedia.com




Estabilizante de cor (EST COL)Assegura as características físicas de emulsões e suspensões, aplicados em conservas, doces, sobremesas, lacticínios, sopas, caldos concentrados, panificação, massas, alimentos processados, biscoitos, sorvetes, achocolatados e sucos. Exemplo: hidróxido de magnésio.


imagem: obebtosuman.mx


Espumante (FOA)Possibilita a formação ou a manutenção de uma dispersão uniforme de uma fase gasosa em um alimento líquido ou sólido. Exemplo: metiletilcelulose.
imagem:3.bp.blogspot.com


UmectanteMantém a umidade dos alimentos, protegendo-os da perda de umidade em ambiente de baixa umidade relativa ou que facilita a dissolução de uma substância seca em meio aquoso. É adicionado em balas, recheios de bolos e bolachas, chocolates etc. Exemplo: glicerol, sorbitol, lactato de sódio.
imagem: sensorweb.com.br


AntiumectanteAdicionado a alimentos que obrigatoriamente têm de ser mantidos secos, como leite e temperos em pó. É uma substância capaz de diminuir a tendência de adesão, umas às outras, das partículas individuais. Exemplo: carbonato de cálcio, carbonato de magnésio, silicato de cálcio.
CaSiO3 - silicato de cálcio


ALGUNS PONTOS A SEREM CONSIDERADOS:
Os antioxidantes alimentares BHA (hidroxianisol butilado) e BHT (hidroxitolueno butilado), por exemplo, são apontados como possíveis indutores de urticária e dermatite eczematosa. Esse tipo de substância, usada na conservação de alimentos ricos em gordura e também nos secos, como os cereais, é proibido em alguns países.
O dióxido de enxofre e outros sulfitos inorgânicos, empregados no controle do crescimento de micro-organismos em diversos alimentos e bebidas fermentadas, como o vinho, podem desencadear crises de broncoespasmo em pessoas sensibilizadas, e a relação dessa ingestão à ocorrência de urticária e angioedema também tem sido estudada. Outras avaliações científicas dão conta de que o consumo frequente de certos aditivos amplia a probabilidade de desenvolver patologias como câncer.
Outro aditivo controverso é o glutamato monossódico , muito utilizado na cozinha oriental, um realçador de sabor , que pode provocar náuseas e cefaleias.


COMO "VER" UM RÓTULO:
imagem:http://static.wixstatic.com
No rótulo acima, analise a quantidade de aditivos químicos usados.
Mas, e os aditivos naturais?
Próximo post!
fontes: http://aditivos-quimicos.blogspot.com.br
http://zh.clicrbs.com.br

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

CANETA ESFEROGRÁFICA: O QUE É ESSA TINTA?

ALÔ PESSOAL!
Duvido que você já não tenha estourado uma canetinha  Bic ou do tipo!
Tinta mais difícil de sair!
E o que tem nessa tinta tão melequenta?


 COMPOSIÇÃO DA TINTA ESFEROGRÁFICA:


 imagem: Wikipédia


Você provavelmente não tem ideia de onde vem a tinta das suas canetas, muito menos se é um processo de fabricação simples ou complexo. Josh Velson, consultor de engenharia química para bio e petroquímica, tem a resposta.


A tinta de canetas esferográficas pretas é feita a partir do negro de fumo (ou negro de carbono): trata-se da fuligem criada ao se queimar certas substâncias químicas. Normalmente, a fuligem é algo indesejável; mas aqui, há processos industriais feitos para criá-la e usá-la.
As partículas do negro de fumo servem como pigmento. É preciso separar essas partículas usando um polímero; e para fazê-las fluir pela caneta, aplica-se um solvente.
E para as cores além do preto? Em canetas vermelhas, utiliza-se a eosina. Nas canetas azuis, é comum usar pigmentos como trifenilmetano ou azul-ftalo (que possui cobre em sua composição).
Para fazer outras tintas, o processo é semelhante: por exemplo, ao criar tinta preta de impressora, também se usa o negro de fumo, polímero e solvente. Mas neste caso, as partículas são otimizadas para atravessarem os poros finos do cartucho, em vez de uma esfera na caneta esferográfica.
E de onde vêm os componentes da tinta?
  • negro de fumo: geralmente vem do carvão ou derivados de petróleo (como o acetileno);
  • polímeros: há diversos tipos, que ou vêm do petróleo, ou são derivados de óleo de pinho ou breu;
  • solventes: geralmente são petroquímicos (derivados do petróleo), e evaporam rapidamente da tinta.
Existem empresas especializadas que se dedicam inteiramente ao negro de fumo. Mais tarde eu descobri que, na indústria, há muitos tipos de negro de fumo, embora só alguns sejam adequados para tinta.
É preciso muito mais engenharia para criar os polímeros da tinta, pois eles geralmente determinam o fluxo, o tamanho das partículas, e (nas tintas coloridas) algumas das propriedades ópticas, tais como o brilho. Por sua vez, essas propriedades impactam a separação de cores e nitidez das tintas.
Tintas de impressão, por exemplo, variam de acordo com o tipo de aplicação. A tinta de jornal é diferente da usada em impressoras a jato de tinta, a laser, em canetas esferográficas, canetas de gel e canetas-tinteiro. O nanquim é totalmente distinto, composto de negro de fumo, água e goma-laca; hoje em dia, ele é usado principalmente para fazer quadrinhos.
O processo usado para fazer cada uma dessas tintas é bastante similar. A maioria das fábricas que formulam as tintas também as inserem em cartuchos, tubos e outros recipientes – eu acho que isto é muito mais mecânica e tecnicamente complexo do que fazer a tinta em si. O segredo das tintas, na verdade, está na pesquisa e desenvolvimento.


imagem: http://segredosdomundo.r7.com
Texto do http://gizmodo.uol.com.br

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante