terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A LAMA : UM DESASTRE ECOLÓGICO SEM SOLUÇÃO- MARIANA

ALÔ PESSOAL!!
Mais uma vez o XQUIMICA está na 2° fase do TOPBLOG 2015!
Obrigada a vocês que votaram!


Mas o assunto de hoje é Mariana.
Vamos dar um resumo do que aconteceu e as previsões do que está para acontecer...


QUANDO E COMO OCORREU O ROMPIMENTO DAS BARRAGENS?


 A barragem que rompeu foi a do Fundão, que acabou danificando a barragem de Santarém, ambas ficam no subdistrito de Bento Rodrigues, a 35 km do centro do município de Mariana, cidade histórica mineira a 124 km de distância de Belo Horizonte. Isso ocorreu na tarde do dia 5, uma quinta-feira, por volta de 15h30. A barragem do Fundão, que é maior, se rompeu e transbordou para a de Santarém, na mesma região .


O QUE CONTÉM A LAMA QUE TRANSBORDOU E QUAL O VOLUME?


De acordo com o Ibama, o volume extravasado foi estimado em 50 milhões de metros cúbicos, quantidade que encheria 20 mil piscinas olímpicas.


A lama tem sua origem na produção de minério de ferro. De acordo com a Samarco, o rejeito é composto, em sua maior parte, por areia e não apresenta nenhum elemento químico danoso à saúde. Segundo o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), a lama é composta principalmente por óxido de ferro e areia. A empresa Samarco produz bolas de minério de  ferro para produção de aço. Para isso é preciso extrair o ferro e utiliza-se uma série de procedimentos em que é utilizada água. Essa água, mais a lama que continha o minério de ferro, é depositada em um tanque, circulado por um muro e deveria ter vários níveis de contenção.
Para piorar, não somente óxido de fero compõe essa lama.Foram detectados  arsênio, manganês e chumbo muito acima do permitido pela legislação brasileira.


QUAIS OS DANOS CAUSADOS ATÉ AGORA?


O colapso da barragem de Fundão causou o transbordamento de outra barragem, a de Santarém. O incidente liberou cerca de 60 milhões de metros cúbicos de lama, que destruiu distritos da cidade de Mariana e escorreu ao longo dos quase 700 km entre o local da ruptura e a foz do rio Doce, no Espírito Santo, causando danos ambientais e sociais.
No entanto, as estimativas sobre o real número de prejudicados nos dois Estados pelo desastre ambiental ainda são preliminares e desencontradas, já que utilizam critérios diferentes de medição.
A Defesa Civil de Minas Gerais, por exemplo, fala em mais de 1 milhão de pessoas atingidas. Para chegar a esse número, o órgão diz ter apenas somado a população de 35 municípios do Estado no caminho da lama.
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, órgão vinculado ao Conselho Nacional de Recursos Hídricos, afirmou que cerca de 500 mil pessoas tiveram o abastecimento de água comprometido em Minas e no Espírito Santo.
estimativas:
IMPACTO MÍNIMO DA LAMA   
de Mariana( MG)  a Linhares ( ES ) :                                                  
500 mil pessoas tiveram o abastecimento de água comprometido nos 2 Estados
  • 263,1 km² é a área mínima de espelho d'água afetada pela lama.
  • 379,73 km² de áreas de agricultura e pastagens estão a até 2 km do Rio.
  • 1.469 ha foram completamente devastados antes mesmo que a lama chegasse ao Rio Doce
fontes: http://www.bbc.com
http://noticias.uol.com.br/cotidiano
www.bbc.com


ONU detalhou consequências do acidente, como chegada da lama ao mar (Foto: Reuters)


www.bbc.com






Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante