sexta-feira, 8 de abril de 2011

UMA NOVA PARTÍCULA ATÔMICA?


ALÔ PESSOAL!!!!!!

O Victor, meu querido ex-aluno, deu a dica para essa reportagem que saiu Na Folha on line!Muito obrigada!

Voces sabem que o átomo é o o começo e o fim de todas as coisas.

Mas além das partículas fundamentais, protons, neutrons e elétrons, há formações menores e é sobre isso a matéria abaixo:

Se um grupo de físicos americanos estiver certo, a humanidade acaba de topar com uma nova partícula fundamental --uma peça essencial do quebra-cabeças da matéria que, até agora, tinha passado despercebida. A possibilidade vem de dados obtidos pelo Tevatron, acelerador de partículas que fica em Batavia, Illinois (meio-oeste dos EUA). Os físicos que avaliaram os dados trabalham no Fermilab, instituição onde o superacelerador está instalado. O trabalho desse tipo de máquina é promover trombadas de partículas em níveis de energia altíssimos. No caso do Tevatron, as trombadas envolvem prótons (componentes do núcleo dos átomos com carga elétrica positiva) e antiprótons ("gêmeos" dos prótons com carga invertida, negativa).

Quando a pancada de partículas acontece, os prótons e antiprótons originais são aniquilados, e o que sobra são jatos altamente energéticos dos componentes menores dessas partículas. É mais ou menos como jogar um computador no chão com força suficiente para que as peças se soltem. Depois, examinando as peças, tenta-se entender como ele estava montado e como funcionava. Só que, no experimento coordenado pelo físico Giovanni Punzi, havia uma peça completamente inesperada. Os cientistas já conhecem um zoológico de partículas fundamentais, mas nenhuma bate com a energia dos jatos observados nos testes. Então, que diabos seria aquilo? Um candidato é o misterioso bóson de Higgs, partícula prevista teoricamente mas nunca achada, que daria massa (o que chamamos popularmente de "peso") a outras partículas. Punzi e companhia não apostam nessa hipótese. "Mas a massa do que eles viram até poderia ser compatível com o Higgs", avalia Ronald Shellard, do CBPF (Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas), no Rio de Janeiro. (http://www1.folha.uol.com.br)

Será que é mesmo o famoso e nunca identificado bóson de Higgs?

quinta-feira, 7 de abril de 2011

BALAS E MUNIÇÃO



ALÔ PESSOAL...


Hoje uma grande tragédia abalou o país: a morte de crianças e adolescentes em uma escola no Rio de Janeiro. Duas armas de fogo e uma grande quantidade de balas.


O que me leva a pensar: como são feitas essas balas e por que o poder delas é tão grande?


A arma, em si, não adianta sem a munição: é ela que faz o estrago todo.


Ao lado como é o design de uma bala


Como isso funciona? A bala tem 4 partes:


O estopim ou espoleta, a cápsula ou estojo, a pólvora ou propelente, e o projétil. A função da espoleta é dar a ignição para a queima do propelente. Ela é a responsável por quando receber um forte impacto (vindo do percursor da arma) gerar faísca e iniciar a queima do propelente. A cápsula tem a função de isolar o propelente do meio, impedindo a entrada ou saída de ar ou qualquer outra substancia. A função do projétil é manter lacrada a cápsula até o momento do disparo e ser impulsionado até o alvo. E o propelente, que é o real responsável pelo disparo, diferente do que é conhecido popularmente, o propelente não explode, então, o projétil não é arremessado devido a explosão. O que ocorre é a queima gradual do propelente, gerando gás em alta temperatura. Este gás aumenta a pressão interna dentro da cápsula, até o ponto em que o projétil não consegue mais manter a cápsula fechada. Neste momento o projétil é empurrado gradualmente para frente pelos gases em alta temperatura, que continuam agindo e aumentando a energia do projétil até que este saia do cano da arma.(http://armasdefogo.amatilha.com.br)


Outra informação:


O projétil é uma massa, em geral de liga de chumbo, que é arremessada à frente quando da detonação da espoleta e consequente queima do propelente. É a única parte do cartucho que passa pelo cano da arma e atinge o alvo. Para arremessar o projétil é necessária uma grande quantidade de energia, que é obtida pelo propelente, durante sua queima. O propelente utilizado nos cartuchos é a pólvora, que, ao queimar, produz um grande volume de gases, gerando um aumento de pressão no interior do estojo, suficiente para expelir o projétil. Como a pólvora é relativamente estável, isto é, sua queima só ocorre quando sujeita a certa quantidade de calor; o cartucho dispõe de um elemento iniciador, que é sensível ao atrito e gera energia suficiente para dar início à queima do propelente. O elemento iniciador geralmente está contido dentro da espoleta .


Propelente


Propelente ou carga de projeção é a fonte de energia química capaz de arremessar o projétil a frente, imprimindo-lhe grande velocidade. A energia é produzida pelos gases resultantes da queima do propelente, que possuem volume muito maior que o sólido original. O rápido aumento de volume de matéria no interior do estojo gera grande pressão para impulsionar o projétil. A queima do propelente no interior do estojo, apesar de mais lenta que a velocidade dos explosivos, gera pressão suficiente para causar danos na arma, mas isso não ocorre porque o projétil se destaca e avança pelo cano, consumindo grande parte da energia produzida. Atualmente, o propelente usado nos cartuchos de armas de defesa é a pólvora química ou pólvora sem fumaça. Desenvolvida no final do século passado, substituiu com grande eficiência a pólvora negra, que hoje é usada apenas em velhas armas de caça e réplicas para tiro esportivo. A pólvora química produz pouca fumaça e muito menos resíduos que a pólvora negra, além de ser capaz de gerar muito mais pressão, com pequenas quantidades. Dois tipos de pólvoras sem fumaça são utilizadas actualmente em armas de defesa: Pólvora de base simples: fabricada a base de nitrocelulose, gera menos calor durante a queima, aumentando a durabilidade da arma: Pólvora de base dupla: fabricada com nitrocelulose e nitroglicerina, tem maior conteúdo energético. O uso de ambos tipos de pólvora é muito difundido e a munição de um mesmo calibre pode ser fabricada com um ou outro tipo.( wikipédia)


A bala entra no corpo a uma velocidade de 250m/s.


O estrago: Essas armas destroem uma grande quantidade de tecidos, aumentando o risco de hemorragia e de lesão de um maior número de órgãos e diminuindo as possibilidades de sucesso da cirurgia.


Pergunta que não quer calar: Por quê?

quarta-feira, 6 de abril de 2011

USOS DO CRISTAL LÍQUIDO

ALÔ PESSOAL!!!!!! Como prometido aí estão os usos mais comuns do cristal líquido: Os cristais líquidos possuem importantes aplicações tecnológicas exatamente porque são anisotrópicos. A sua anisotropia permite a mudança de suas propriedades óticas pela aplicação de campos magnéticos ou elétricos. A mudança nas propriedades óticas pode ser usada para modular a luz e portanto "mostrar" informação. Esse efeito é a base de todas as aplicações tecnológicas dos cristais líquidos. Estes são formados por compostos orgânicos cujas moléculas devem apresentar certas características peculiares. Por exemplo, para formar uma fase líquida cristalina as moléculas devem ter uma forma geométrica bastante anisotrópica. Para o caso de cristais líquidos de interesse tecnológico, as moléculas devem ser muito alongadas, na forma de cilindros, cujo comprimento é bem maior que seu diâmetro (a razão entre os dois é da ordem de 4 a 5). As aplicações mais evidentes são o uso em relógios digitais e calculadoras. Quem não conhece um relógio com um "display" de cristal líquido? Além dessas utilidades bem conhecidas, "displays" de cristal líquido estão sendo empregados em jogos eletrônicos para crianças e adultos e instrumentos de vários tipos (multímetros, osciloscópios, equipamentos de escritório, bombas de gasolina, painéis de mensagens, aparelhos eletrodomésticos etc.). As aplicações mais cobiçadas para o futuro próximo são o seu uso em televisores portáteis, em painéis de automóveis e aviões. O sonho maior: uma televisão colorida usando uma tela de cristal líquido.( http://www.fsc.ufsc.br) Existe uma variedade de substâncias que se encontram na fase sólida ou líquida. Da mesma forma existem várias substâncias de cristal líquido. De acordo com a temperatura e a natureza, os cristais líquidos podem se apresentar em diferentes fases como, por exemplo, na fase nemática. Essa fase é a que torna possível a fabricação das TVs de LCD. Dentre todas as características dos cristais líquidos, a que mais se destaca é o fato de essas substâncias serem afetadas por correntes elétricas. O cristal líquido chamado de nemático torcido, um cristal que se encontra na fase nemática, encontra-se naturalmente torcido. Ao aplicar uma corrente elétrica sobre esses cristais faz com que eles se destorçam em vários graus, dependendo da intensidade da tensão que é aplicada sobre ele. As TVs de LCD utilizam esse cristal líquido porque ele reage à passagem da corrente elétrica controlando, dessa forma, a passagem da luz. Alguns cristais líquidos são sensíveis a pequenas variações de temperatura, de forma que através dessa variação eles podem mudar de cor. Essa propriedade é aproveitada na construção de termômetros de cristal líquido. Outras aplicações dos cristais líquidos são os suportes de copo e o display de cristal líquido (LCD). O primeiro possui uma camada que é sensível a pequenas variações de temperatura, possibilitando assim uma variedade de cores a serem observadas pelo usuário. Já o segundo é um tipo de mostrador que vem sendo muito utilizado nos aparelhos digitais no lugar dos chamados LEDs( http://www.brasilescola.com)

segunda-feira, 4 de abril de 2011

CRISTAL LÍQUIDO


OLÁ PESSOAL!!!!!

Como estão?

E abril chegou!!!!!!

Como esse tempo passa rápido, daqui a pouco já é final de ano...

Mas hoje vamos falar de cristal líquido: ao lado uma foto de uma das fases do cristal líquido.

Esse material transformou os mostradores eletronicos e não é sólido, nem líquido e sim um estado intermediário entre so dois.

São substancias que escoam com líquidos viscosos, mas mantém suas moléculas em arranjo ordenado, como um cristal.

É exemplo de mesofase, ou seja, estado intermediário da matéria onde há a fluidez de um líquido e o arranjo ordenado de um sólido.Estã osendo muito usados na indústria eletrônica porque respondem bem a mudanças de temperatura e campo elétrico.

Uma molécula de cristal líquido típica é o p-azoxi-anisol , longa com a forma de bastão.Essa forma faz com que as moléculas se empilhem juntas, como espaguete não cozido : ficam paralelas umas às outras mas tem a liberdade para escorregar umas sobre as outras ao longo do eixo principal.

Há tres classes de cristais líquidos que diferem no arranjo da moléculas: fase nemática , onde as moléculas ficam juntas, todas na mesma direção, mas umas atrasadas em relação às outras.

Na fase esmética as moléculas formam camadas e as moléculas se alinham ( as paredes celulares são formadas de cristais nesse estado ).Na fase colésterica as moléculas formam camadas ordenadas , porém as camadas vizinhas tem as moléculas em arranjos helicoidais, formando ângulos .

Onde são usados?

Aguarde o próximo post!

( foto: wikipédia) (texto:Princípios da Química - P. Atkins e L. Jones)

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante