quinta-feira, 19 de setembro de 2019

OS ANIMAIS PETRIFICADOS NO LAGO NATRON- TANZÂNIA

OI GALERA!!!
 Hoje vamos ver o lago Natron e por que ocorre a petrificação dos animais.

É como um enredo de filme de terror: animais desavisados caem em um lago misterioso e são transformados em estátuas. Parece ficção, mas a história é real e acontece no lago Natrão, na Tanzânia. Algumas vítimas desse lago mortal foram registradas pelo fotógrafo britânico Nick Brandt. O resultado está no livro “Across the Ravaged Land” (Através do Lago Devastado, em tradução livre – sem versão em português). O nome do lugar já explica parte da letalidade do lago. Natrão é um sal formado por carbonato de sódio hidratado e bicarbonato de cálcio, que se depositou ali por meio de cinzas vindas de vulcões.
 Os egípcios sabiam disso e usavam a substância em processos de mumificação.
O natrão torna o ambiente do lago extremamente inóspito, com um nível de pH muito alcalino, variando entre 9 e 10,5. Isso faz com que o Natrão seja considerado o lago mais cáustico do mundo. Ou seja, ele é altamente corrosivo. Além disso, a temperatura de suas águas pode chegar a 60°C.
 Um dos poucos animais capazes de sobreviver no lago é uma espécie de tilápia adaptada para suportar a alcalinidade e a alta temperatura.
Surpreendentemente, o local é o paraíso de flamingos que se alimentam de spirulina, um tipo de cianobactéria que cresce nas margens do Natrão. As aves constroem seus ninhos ali justamente porque o ambiente é tão agressivo à vida que acaba espantando predadores. Mas, vez ou outra, alguns flamingos caem acidentalmente na água e também acabam virando “pedra”.
Segundo Nick Brandt, ninguém sabe exatamente como os animais morreram. Uma hipótese é que os reflexos na superfície do lago tenham confundido os animais, do mesmo jeito como pássaros trombam com janelas de casas e prédios. Uma vez que são “capturados” pelas águas letais do Natrão, os bichos morrem e ficam calcificados. “O sal alcalino presente no lago ‘gosta’ de água e absorve toda a umidade, ressecando qualquer coisa que entre em contato com ele”, afirma Ethan Kinsey, um dos participantes da expedição de Nick Brandt, em seu blog. “Além disso, a alcalinidade atua como uma substância antibacteriana, preservando os corpos da decomposição”, diz. Encantado e surpreso pelo mórbido espetáculo dos corpos espalhados pelos arredores do lago, Brandt reposicionou os cadáveres de modo que parecessem vivos e os clicou, eternizando-os também em imagens
 Resultado de imagem para BICHOS PETRIFICADOS LAGO NATRON
ASSUSTA!!!

terça-feira, 17 de setembro de 2019

PIPOCAS - ENTENDA O PROCESSO!

OI GALERA!!

MAIS UM ASSUNTO - COMO O MILHO VIRA PIPOCA?

A pipoca é uma variação do milho que conta com uma estrutura bastante semelhante à do original, sendo composta por amido, água e uma casca bem dura.

Apesar de parecer uma questão extremamente complexa, o segredo por trás dessa “mágica” que é o estouro das pipocas é bastante simples: água! É a expansão da umidade dentro do grão que o faz explodir.

Essa água se encontra dentro das pipocas, junto com o amido. Quando você coloca a porção desejada em uma panela e tudo começa a esquentar, o amido se funde à umidade, o que acaba criando uma espécie de cadeia de bolhas gelatinosas. A expansão faz com que os grãos explodam e esse núcleo se torna aquela parte branca da pipoca que todos nós adoramos.

Ao que tudo indica, a pipoca tem a sua origem nas regiões do México e do Peru, mesmo que os arqueólogos garantam que ela também já era plantada em outras partes do planeta, como a China ou a Índia.

mais informações: https://l-xquimica.com/pipocas/

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante