segunda-feira, 7 de março de 2011

ESTATINAS



ALÔ PESSOAL!!!!!!!!
Como estão?
Olhando uns exames antigos de sangue, comecei a ficar curiosa com o colesterol.
Tudo bem, sei que tem o bom colesterol e o colesterol ruim (aliás quase todo mundo sabe!).
Sei que o ruim entope as artérias e pode causar uma série de problemas.
Mas, como ele se forma?
E como combater? Já ouviu falar de "estatinas?"
Lançadas comercialmente em meados da década de 80, as estatinas causaram uma revolução na prevenção e no tratamento do colesterol alto, um dos piores inimigos do coração. Até então, a única arma eficaz contra esse problema era a combinação de dieta balanceada com exercícios físicos – uma receita que não funcionava para todo mundo, já que a quantidade de colesterol no organismo tem um forte componente genético.

Para entender como elas agem, é preciso conhecer um pouco o inimigo contra o qual as estatinas se lançam ferozmente: o colesterol. Essencial ao bom funcionamento do organismo, 60% dele são produzidos principalmente no fígado. Os outros 40% vêm dos alimentos de origem animal. O colesterol é usado na formação das membranas da célula, na produção da vitamina D e na síntese de vários hormônios. Colesterol é sintetizado pelo fígado, em um processo regulado por um sistema compensatório: quanto maior for a ingestão de colesterol vindo dos alimentos, menor é a quantidade sintetizada pelo fígado .Há dois tipos de colesterol: o HDL e LDL. O primeiro é o "colesterol bom", que remove o excesso de gordura da circulação sanguínea. O outro é o "colesterol ruim", que deposita gordura na parede das artérias, o primeiro passo para o entupimento delas. Na tentativa de se livrar dessas placas, o sistema imunológico organiza um contra-ataque, o que desencadeia um processo inflamatório. Quanto mais inflamada, maiores são os riscos de a placa explodir e obstruir uma artéria.
As estatinas atuam em várias frentes. Inibem a ação de uma enzima essencial à produção de colesterol, o que acaba por reduzir os níveis de LDL no sangue. Elas aumentam ainda o descarte do colesterol ruim pelo fígado. Além disso, o remédio funciona como antiinflamatório, evitando o rompimento das placas de gordura. ( fonte:http://lenzafarm.com.br)
Não esqueça que o depósito e a explosão de uma placa de gordura é um sério risco cardio vascular podendo terminar em um enfarte, angina ou AVC.

E como medicina e química estão mais que unidas, a fórmula estrutural da estatina ( no caso artorvastina) está aí para voce ver!
XQUIMICA orgânica total!!!!!!
(foto:universofarmaceutico.blogspot.com)

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Fazendo a vida ser interessante